quinta-feira, dezembro 20, 2012

De Meeuwen Makrelen Loop – 2012

É sempre com grande satisfação que participo nesta corrida bem popular em Scheveningen. E existem fortes argumentos que motivam a essa satisfação, que são o facto de ser uma corrida popular, onde tudo se desenvolve ao redor de uma serralharia no porto de pesca de Scheveningen, o facto de não haver classificações finais, onde todos são considerados vencedores, e no final o prémio ser igual para todos, que é uma cavala fumada empacotada em vacum, uma sopa e um peixe frito.
Estes são ingredientes suficientes para tornar esta corrida, bem popular, onde as inscrições online esgotam em menos de 24 horas ( 600 atletas!).E ainda com um preço simbólico de 8 euros!! Particularmente este ano fui o 8º a inscrever-me!!

A corrida em si é bemdura. São 10 milhas ( 16,1km) em pleno areal junto ao mar do norte. Ela tinha um vento muito forte nos primeiros 8 km, e na volta o vento nas costas, já não era tão forte ( não sei como ele nunca nos ajuda!!), a arreia não estava tão rija como normalmente, tonando-se bem penosa a missão de correr.

Na última semana, tinha tido um problema de uma pequena lesão na bacia, e não teria sido muito aconselhável ter feito esta corrida, mas o desejo era tanto de participar que fui “arriscar”.
Na corrida houve uma particularidade da participação da associação de cegos. É impressionante como participam nestas provas desportivas, e a quantidade dos mesmos. Já tenho visto aqui e acolá nas corridas a participação destes atletas. Acho sempre fantástico.
Resultado, nos primeiros 4 a 5 km tudo muito bem, a não ser o tal vento forte, mas atrás de alguns calmeirões Holandeses, até que se passa bem. Depois foi a tortura, areia solta, a bacia começou a puxar mais, o esforço a aumentar, as dores começaram a aparecer e o ritmo baixo significativamente. Virei aos 8 km o percurso inverso, e fui a trote até à meta final. Durante este percurso, fui abordado por muitos colegas e amigos, admirados de verem eu a ser ultrapassado por eles. Fui explicando o que me tinha sucedido e davam-me incentivos, e eu a pensar no peixinho frito e na sopa, enchia-me de coragem para terminar.

Terminei com 1 hora e 41 minutos ( em 2011 tinha sido 1:18:00), com muitas dores, mas feliz de ter participado nesta corrida popular. E soube tão bem a sopa quentinha e o peixe frito quente...hummmmmm!!
Agora deixo a recuperação para as próximas semanas nas mãos do fisioterapeuta. Se tudo correr bem dentro de dias já estou de volta!!!

Aqui fotos:


 Aqui Videos:




terça-feira, novembro 27, 2012

Meijendelloop - 2012


Fazer uma corrida com a partida às 8 horas da manhã, só mesmo quando o percurso é muito especial para disfrutar duma corrida desta natureza se faz este “sacrifício” de acordar bem cedo.
Foi o que me aconteceu no passo sábado (dia 24/11), pra ir participar na Meijendelloop, ou seja, na corrida que é feita na reserva natural, junto à cidade de Haia.

Meijendel é de uma beleza fantástica, com tudo a que a envolve da natureza, as águas com lagos muito bonitos, as dunas, as matas com pinheiros, os cisnes, os gansos, os cavalos e bois selvagens, são tudo o encontramos durante o percurso desta corrida, que eu participei pela segunda vêz ( em quatro edições). O número de participantes é reduzido, e imposto pela organização no máximo até 270 atletas. E uma particularidade, o local de troca de roupa e guarda-roupa foi nas baias dos cavalos.

Depois desta introdução fascinante, digo que a minha corrida de 25 km correu muito bem. Tinha durante a semana conversado com os meus colegas no clube, que iria tentar fazer um ritmo aproximado de 5 min/km, pois a parte entre os 5 e 10 km é muito sobe e desce, curtinho e irritante para se tomar um bom ritmo e torna-se desgastante. Depois por volta dos 15km até aos 17 km é novamente um sobe e desce que temos de estar bem preparados para os enfrentar. Tomado isso em consideração, fiz isso mesmo, um ritmo linear de 4:45 e os 5:00 min/km, ou seja um ritmo a rondar os 13 km/h.

No final fiz um resultado muito bom, para a minha modéstia de atleta, com 2:00:02 ( atribuído pela organização, registo manual), mas eu vi que foram 1:59:58!!, mas enfim mais 4 segundos ou menos 4 segundos, considero um tempo muito bom. Média foi 4:48 min/km ou sejam 12,5 km/h. Fui o 55 classificado e no final tínhamos como prémio, a shirt técnica oferecida pela organização, e uma bela fatia de bolo de maçã com café ou chocolate com leite quente. Estava uma maravilha!!! E por curiosidade foram 7 minutos mais rápido que no ano passado. Fiquei feliz por esta manhã, acordada às 6 horas.

O preço desta corrida foi de 20 euros, porque por detrás da mesma está o projecto de levar àgua a populações na Tanzânia, e com isso foram angariados 3.000 euros.


segunda-feira, novembro 19, 2012

Zevenheuvelenloop - 2012



A corrida do Zevenheuvelenloop ( Corrida dos sete montes, ou das sete colinas, em português!!) é sempre mágnífica. Não só pela qualidade da organização, como também todo percurso em que a mesma se realiza. Estamos a falar de uma corrida, de 15 km ( só existe essa distância e uma corrida para jovens até aos 10 anos) que vem a crescer de ano para ano e a organização consegue sempre estar a 100% para esse crescimento. Este ano foram 26.440 participantes!! Mas são participantes que vão mesmo correr. Não existem misturas de caminhadas, para inflacionar os números dos participantes que correm.

A organização pensa em todos os pormenores. São as viagens de comboio até Nijmegen dos participantes, que têm um preço especial, são sancionados os que se fazem transportar de automóvel, pagando a inscrição em mais 5 euros, sendo esse dinheiro para um projecto de reflorestação dos bosques envolventes à cidade. Durante a corrida a forma de fazer as partidas por tempos, sendo que quando se faz a inscrição o sistema informático já dá os tempos de anos anteriores e coloca logo de imediato o atleta no setor de partida que tem direito, em conjunto com outros atletas que correm tempos idênticos. É o controle rígido na entrada do setor que foi atribuído ao atleta. Não havendo qualquer possibilidade para os “xicos espertos!!”.
Enfim toda uma série de elementos organizativos importantes, para quem participa nesta corrida. E só assim cada ano o número de participantes vai aumentando, porque quem lá vai gosta e volta de novo.

 Já participamos nesta corrida desde 2008 ( Amélia desde 2009)e todas estas nossas participações são sempre com muito entusiasmo que fazemos esta corrida, lá na fronteira com a Alemanha. A cidade de Nijmegen tem muitos bosques circundantes e alguns montes ( na Holanda não existem montanhas)e é nesse cenário que acontece esta corrida maravilhosa. Vêm sempre participar grandes nomes do atletismo mundial, tanto masculinos e femininos, porque consideram esta prova de elevado nível.

A nossa participação, ficou igual a anos anteriores. Acima de tudo disfrutar em participar e do ambiente que a prova tem, e se possível fazer o melhor desportivamente. A Amélia finalmente correu uma prova totalmente de estrada, e notou que necessita de melhorar o nível de condição, para este tipo de provas mais longo. Mas para quem já esteve oito meses parada com a lesão, foi muito bom só o facto de poder participar. Xavier depois da lesão na maratona, estive com algum cuidado inicial, mas depois de aquecer senti-me muito bem, e que poderei considerar que a lesão está ultrapassada definitivamente.

Os resultados :

Amélia 1 hora 35 minutos e 20 segundos. Foi 596ª na sua categoria (Mulheres 50/54 anos) entre 776 participantes.
Xavier 1 hora 8 minutos e 11 segundos. Foi 355º na sua categoria (Homens 50/54 anos) entre 2.436 participantes.

 Em resumo dos nossos resultados desportivos, a Amélia que vem de uma longa pausa, fez 5 minutos mais, mas foi só nos últimos 5 kilómetros que teve mais dificuldades comparando os anos anteriores. Xavier em 5 presenças na totalidade fez o segundo melhor tempo destas presenças. Mas depois de 5 presenças, continua a ter o tempo idêntico aos anos anteriores. Não estamos assim tão mal.!!!

 Foi mais um domingo bem passado em Nijmegen, apesar da manhã ter sido chuvosa e desagradável antes da partida da corrida, depois ficou seco e tornou o final bem melhor para os participantes. No regresso passamos num restaurante típico no porto de pesca de Haia ( Scheveningen) e terminámos com um belo peixe frito tradicional da Holanda.


Á noite a televisão regional da região de Nijmegen, fez noticia da prova e por curiosidade colocou uma foto minha como pano de fundo. Foi curioso!!




segunda-feira, novembro 12, 2012

Num fim de semana duas actividades desportivas!.

Este foi um fim de semana com duas actividades desportivas. No sábado (dia 10-11-2012) foi o Encontro Nacional de Treinadores de Atletismo em Nijmegen, e no domingo (dia 11-11-2012) participei no Corta-Mato de Clingendael, aqui em Haia.
No Encontro Nacional de Treinadores de Atletismo de sábado, foi a minha 3ª participação. É sempre com muito interesse que participo neste encontro, pela qualidade de aprendizagem que recebem os participantes durante os workshops que participam.

Mais um dia grande organizado pela Federação Holandesa de Atletismo, e como sempre nas instalações desportivas da Universidade de Nijmegen. Tal como nos anos anteriores, e já são 17 edições,  participaram 1000 (mil) treinadores, que tinham ao seu dispor  100 workshops, dos mais variados temas e aspectos ligados ao atletismo.
Cada participante poderia tomar parte em 3 workshops, previamente inscritos. Cada workshop tinha a duração de  1 hora e 15 minutos, em que os formadores, são todos experientes homens e mulheres do atletismo, ou ligados a ele.

Os workshops que eu participei foram – “Core Stability e Força no treinamento de corrida”, “ Como poderá fazer um treino mais atraente”, “Variação no treinamento de corrida com a utilização de temas”  sendo excelentes aprendizagens, também proporcionaram uma boa interactividade e dinâmica nos participantes.
Existia também um mercado desportivo, com bastantes novidades, desde o calçado desportivo, os materiais para os treinos, as novas tecnologias que podem ser colocadas ao serviço do desporto, literatura e áudio-visual, etc ,etc. Por curiosidade experimentei um “brinquedo” o elliptigo, que é uma combinação de bicicleta, com home training, que é excelente para uma fase de recuperação de lesões ou mesmo para treinamento. 


Em resumo, foi um “longo” dia muito proveitoso.  

No domingo foi o Corta-Mato de Clingendael, o primeiro deste período no total de 4 em que vou participar até ao final do ano. Bem cedo fui de bicicleta, munido dos meus sapatos Fivefingers, fui até ao parque de Clingendael, numa manhã de outono, cheia de sol, e propícia para fazer um corta-mato, num ambiente bem bonito.
A prova eram cerca de 7,1 km, no bosque do parque de Clingendael, com um percurso com boas subidas e descidas e alguma parte com bastante lama, mas com muitas folhas caídas das árvores. A história desta corrida é muito curta, pois este tipo de prova consiste para mim unicamente para ganhar força na corrida e conviver com os colegas que participam. Entre os 180 participantes, fiquei na 66ª posição da geral e na minha categoria ( Homens 45-55 anos) fui 17º entre 44 participantes, tendo demorado 33 minutos e 02 segundos, numa média de 4:37. O objetivo foi alcançado!! 


Fotos do Encontro de Treinadores


Fotos do Corta-Mato Clingendael

segunda-feira, novembro 05, 2012

Laan van Meerdervoortloop - 2012


Após oito meses de recuperação da lesão da Fascíte Plantar, a Amélia fez ontem (dia 04 de Novembro), a prova da Laan van Meerdervoort em Haia. Foi uma decisão de quase última hora depois de termos observado, que os últimos treinos ela estava já com alguma condição física e especialmente se durante os treinos o problema da lesão não voltava de novo.
O percurso não seria o melhor para fazer o teste, pois é um tanto ou quanto pesado. Tem asfalto na cidade, depois tem muitas subidas e descidas pelas  dunas e pistas de bicicletas e tem uma extensão de 3 km em que é corrida é feita no areal da praia. E ainda particularmente o tempo estava frio e passou a chuva quando iniciamos a corrida, sem mais terminar.

Xavier estava também para fazer um teste, nesta corrida, depois da lesão ocorrida durante a Maratona de Amsterdam, há duas semanas. Durante este período, foi fazer muito gelo, e descanso, tendo só feito algumas corridas na pista sem qualquer significado, e exercícios de preparação física e manutenção.
Portanto esta corrida, era um teste para ambos, e ao mesmo tempo participar no convívio desta corrida que teve 2.000 participantes, e tem uma paisagem fantástica. Aliás para nós é como estar a “jogar em casa” , pois é um dos nossos locais de treino.

A prova correu dentro da normalidade ao Xavier,  correu com sapatos cinco dedos (fivefingers), e foi uma excelente alternativa para este tipo de percurso. No final realizou o tempo de 45:07, e foi 11º  entre 176 atletas na categoria de Homens 50 anos.

Para a Amélia a prova decorreu de uma forma excelente. Não houve qualquer problema com a lesão, fez uma corrida excelente, tomando em consideração a longa paragem, e o traçado do percurso. No final realizou 1:00:13 foi a 11ª entre 52 atletas na categoria de Mulheres 50 anos.


Ficamos satisfeitos com a nossa prestação e com os nossos testes.

A nossa próxima corrida será ZevenHeuvelenloop (15 km) dia 18 de Novembro em Nijmegen

VIDEOS:

CHEGADA DA AMÉLIA
CHEGADA XAVIER

quarta-feira, outubro 24, 2012

Maratona de Amsterdam - 2012




 Maratona de Amsterdam foi a minha 4a maratona!! Há anos atrás nunca tinha pensado na minha vida correr uma maratona, e no passado dia 21 de Outubro fiz a 4ª maratona da minha vida. Pela 2ª vêz estive a correr a maratona de Amsterdam e isso deu-me muita felicidade.
Durante 16 semanas preparei esta maratona e fiz cerca de 725 km entre treinos e provas. Fui mais aplicado que nas outras maratonas anteriores e isso deu-me muita satisfação ter feito esta preparação.
Na maratona de Amsterdam participaram  cerca de 13.000 atletas, no total de provas ( com maratona, ½ maratona e 8km) estiveram presentes, mais de 37.000 participantes, que eram oriundos de 83 países. Só pessoas que vieram doutros países foram cerca de 15.000. Simplesmente fantástico!!

O dia da Maratona, foi acordar bem cedo e fazer a viagem até  ao Estádio Olímpico de Amsterdam. Chegamos ligeiramente atrasados, para aquilo que tínhamos idealizado, mas depois de todas as formalidades, como levantar o dorsal, levantar a shirt, equipar e deixar o saco no guarda roupa, até entrar no estádio, foi coisa de 45 minutos. Tinha idealizado entrar no estádio pelas 9 horas, mas não consegui. Nisto não encontrei alguns dos colegas e amigos vindos de Portugal, que estariam no mesmo bloco de partida, mas depois a confusão já era muito grande, com muita gente. Mesmo assim deu para encontrar o Vitor Messias, que veio do Entroncamento com a esposa. Ele inscreveu-se para a maratona, mas uma lesão não o deixou participar, mas foi lá fazer a partida e até à saída do estádio ainda fomos juntos, só que depois ele iria parar. Vitor um abraço para vocês e que a próxima possamos fazer juntos!!A esposa dele Anabela fêz a prova de 8km.
Um mar de gente, encheu a pista de atletismo do estádio olímpico de Amsterdam, e o campo central do estádio servia de by-pass ( mangueiras de acesso aos blocos de partida) e também estava cheio. 

Levei cerca de 6;30 minutos para passar a linha de partida. Depois os primeiros 5km um pouco lentos, na casa dos 27 minutos, porque o inicio é complicado, com o entrar no ritmo. Nessa primeira parte que encontrei Portugueses, do Run4Fun, olá....Portugal!!, porque eram fáceis de identificar pelas shirts laranjas. Mais tarde no facebook do Portugal Running – aparece quem era, o Nuno Sentieiro Marques. Mais à frente atletas do Grupo de Lesmas do Oeste...Olá Portugal...e dois dedos de conversa!!, lá fui seguindo, até novamente por volta dos 10 km, mais dois Portugueses....Olá Portugal....força aí malta...e mais dois dedos de conversa e lá fui. Aí a prova estava-me a correr muito bem. O ritmo estava por volta dos 5:10 min/km. Excelente para o plano que eu tinha traçado. Por volta dos 15 km, mais portugueses e sempre que encontrava alguém falava para eles, e é uma maravilha ver pessoal português a fazer as mesmas provas.
Aos 15 km tentei dosear o ritmo e fiquei por volta dos 5:15 min/km e tudo estava sob controle. A passagem da ½ maratona 1:51:17 , era ligeiramente 2 a 3 minutos mais lento do que eu tinha previsto, mas tudo estava normal. Entre os 25 e os 30 uma ligeira quebra e passei a rolar entre os 5:20 / 5:25 min/km, ainda estava normal.
 
O pior estava para vir, pois todos sabemos o muro dos 35 km, mas eu estava fisicamente bem. Força, e ritmo cardíaco dentro do normal, e aos 34 senti uma ligeira dor na virilha, que não liguei e fui andando, até que o raio da dor não passava. Coloquei àgua com uma esponja aos 35 km, mas comecei a puxar pela perna, pois a dor aumentava. Nesse esforço e ao correr torto, começou a atacar-me o quadril, uma dor imensa que não aguentava. Por um lado a virilha a doer e depois o quadril direito. Baixei o ritmo, muito, já nem sei mas qualquer caracol passaria por mim. Fui indo a trote, mas cada passada era uma dor fulminante no quadril. Pensei já estava por volta dos 37 km, se sempre tenho de ir para o estádio olímpico, então vou a trote e termino a maratona. Mas é complicado psicológica e fisicamente. Por um lado a cabeça pensa em ir em frente, mesmo que seja lento, por outro lado, as dores físicas são muito grandes. Depois eu pensava, “puxa vida, treinei tanto, para morrer na praia!!”, afinal faltavam poucos quilômetros para terminar. Por volta dos 36 km 2 portugueses que eu tinha passado, metem-se comigo. Então....vamos lá. E eu respondo...acabou-se a gasolina!!! Afinal era o Carlos Chaves do Portugal Running, que mais tarde colocou uma mensagem para mim no facebook. Este mundo é pequeno!!

Depois era o muito público no Vondelpark ( 38 / 40 km), a puxar a incentivar, dizendo pelo nome “Kom op José Xavier!!” Go on José!!”, e nada de um ritmo normal. Aos 40 km lá estava a Amélia e não imaginava o que estava a acontecer, pois eu estava fora do esquema de tempo previamente estabelecido por mim, na passagem dos 40 km, mas viu a minha cara de dor e logo se apercebeu, que algo não estava bem. Mas a emoção é muito forte e com a ajuda dela fizemos cerca de 1000 metros os dois. Eu continuava com muitas dores, mas só faltavam cerca de 1.500 metros e segui. A entrada no estádio olímpico foi emocionante, pois pensei, que nem que fosse de gatas eu ia chegar na meta, e consegui, ao fim de 4 horas 4 minutos e 52 segundos. Mas terminei!!
 
Quando terminei, estive vários minutos a recompor-me com leves exercícios, antes de receber a medalha da prova. Recuperei ligeiramente recebi a medalha e saí do estádio com uma alegria enorme igual à dor que tive durante os últimos 7 km. Tinha feito a minha 4ª maratona, e isso acima de tudo foi o mais importante. O tempo que gastei?!, dias melhores virão!!

É uma maratona fantástica em todos os níveis. Mas mesmo em todos os níveis é uma organização e percurso maravilhoso. Eu estive durante várias horas que quase não me podia mexer, mas com menos dores, depois recuperei. Dois dias de gelo no quadril e na virilha, já ajudaram muito. Houve qualquer inflamação que me deixou com dores horríveis e agora, 3 dias depois, já estou a recuperar. Voltarei no final de semana a treinar, se tudo continuar no mesmo ritmo de recuperação que estou a sentir agora.

Continuo a estar muito entusiasmado, e quero fazer mais maratonas. Já estou a fazer o plano de 2013. Sim já estou!!
Se tudo correr bem, no próximo ano serão 4 maratonas que vou fazer. Será ou Barcelona ou Roma (17 de março) Roterdão (14 de Abril) Haia (22 de Setembro) e Porto ( Outubro)....Yeessss.

Uma palavra muito especial para a Amélia, pois ela tem sido sempre o meu grande suporte, nestas aventuras. Nesta Maratona de Amsterdam ainda foi mais especial, aos 40 km. Aquele kilómetro que fizemos juntos, foi essencial!! Amor obrigado!!
 
 

quinta-feira, outubro 18, 2012

Haag 10 km e Maratona de Amsterdam - 2012


Haag 10 km
No passado sábado foi a 2ª etapa do circuito de Haia (1x4 Circuit) no HaagAtletiek, numa distância de 10 km. Depois de uma manhã bem chuvosa, na hora de ser feita a partida, a chuva dissipou-se e estava uma excelente temperatura para correr. As duas voltas de 5 km cada uma, foram realizadas num novo e bem mais agradável percurso. Senti-me muito bem, pois não seria mais do que o último teste para a Maratona de Amsterdam no próximo fim de semana, e terminei entre os 170 participantes na 36ª posição com 44 minutos e 12 segundos, sendo 14º na minha categoria ( Homens 45 anos!!). No final havia um sorteio, entre os dorsais e tive um prémio de uma linda shirt técnica do patrocinador.


Maratona de Amsterdam
Estou pronto para participar na Maratona de Amsterdam no próximo domingo dia 21 de Outubro. Vai ser a minha 4ª Maratona e estou ansioso de poder novamente realizar uma aventura desta natureza. A preparação para esta maratona de 16 semanas deu 725 km percorridos, entre provas e treinos.
Na semana passada já chegou pelo correio o registo de levantamento do dorsal e da shirt. Hoje recebi o e-mail com todos os pormenores organizativos e outras informações importantes. Uma das informações que me salientou é que vão estar a correr em Amsterdam 38.000 atletas (maratona, ½ maratona, 8 km e kidsRun). Só na maratona vão ser por volta de 12.000, e vêm de 83 países. Isto é fantástico porque aqui correr é correr mesmo, não há caminheiros pelo meio, para entrar nas contas!!
A Maratona de Amsterdam vai ter transmissão em direto pela Eurosport2, pelas 9,30h (8,30h em Portugal).




Ainda do Dam tot Dam de 24 de Setembro:

Recebi um magazine sobre a minha participação no Dam tot Dam de forma bem personalizada. Quem tiver curiosidade aqui está o link:



segunda-feira, outubro 01, 2012

Fim de semana com dose dupla


A três semanas de participar na Maratona de Amsterdam, nada melhor que fazer um teste mais a sério, de qual seria a resposta do meu organismo físico, às ultimas semanas de preparação.No sábado (dia 29) fui participar no Rijk-Zwaanloop em s’-Gravezande, aqui no Oeste da Holanda, bem pertinho de casa. Uma prova de 10 milhas (16,1 km), que já não fazia há alguns anos. A minha intenção era fazer um  andamento que consistisse entre a média que vou tentar fazer a maratona e simultaneamente um treino.

Assim aconteceu, até a cerca dos 10 km, onde andei perto dos 4:45 / 4:50 min/km. Depois como estava-me a sentir bem aumentei o ritmo, mesmo contra algum vento que se fazia sentir, tendo já no último km feito uma média de 4:15. Terminei com o tempo de 1 hora 14 minutos e 36 segundos. Excelente porque não tinha desgaste físico nenhum, acelerei na ponta final. Aproveitei bem esta tarde de sol, com vento, numa localidade bem simpática e num percurso que leva os atletas pelos campos, com vacas e muitas atividades agrícolas e hortícolas de estufas . 


No domingo (dia30) bem cedo, fui até Amsterdam ( no Amsterdam Bos) participar num treino em grupo ( com outros 500 atletas) de 35 km, que começou às 9:30h. Já participei lá no ano passado, em mais treinos como este, e é sempre muito bem organizado em todos os níveis. Desde os marcadores de passo para os vários grupos (são cerca de 8 grupos entre os 4:00 e os 6:15), que estão sempre ao nível de manter o treino dentro do ritmo estipulado, depois existem os voluntários que ajudam no abastecimento, cada percurso de cerca de 5 a 6 km, existe sempre a possibilidade de ter água, isotônico, bananas, gel, etc. Depois é a agra debilidade de fazer este treino com cerca de 50 ou 60 pessoas no grupo, que vêm dos vários pontos da Holanda para fazerem este tipo de treino. Com uma quantidade tão grande de participantes, quase parece uma prova a sério!

Mas o treino correu-me muito bem. Escolhi o marcador de passo nos 5:45 min/km e senti-me muito bem, sem qualquer efeito da prova do dia anterior.

Foram cerca de 51 km nesta dose dupla do fim de semana. Para o próximo fim de semana, a dose vai ser mais calma!! Vai ser em Portugal. 


segunda-feira, setembro 24, 2012

Damloop - Dam tot Dam - 2012



Foi pela 5a vêz consecutiva, que participei no Damloop ( Dam tot Dam) em Amsterdam, nesta distância de 10 milhas = 16,1 km. É sempre uma festa e com muita alegria faço aquele percurso desportivo de grande beleza, entre Amsterdam Norte e Zaandam.
 Este ano não tive a companhia da Amélia porque ainda está a recuperar da lesão. Apesar de estar muito melhor, ainda não é aconselhável participar em provas de tão longa distância.

A festa está no que é a corrida, onde este ano estiveram cerca de 50.000 participantes, e o público ao longo do percurso a assistir, estimou-se em cerca de 250.000 pessoas. Para isto contribuiu um dia de sol bem agradável, e a ajuda preciosa de 800 voluntários.

A qualidade de organização é a mesma dos últimos anos, os participantes começam as partidas às 11 horas da manhã e fazem-se partidas até às 14;30 horas, onde de 2.000 em 2.000 atletas vão-se fazendo à estrada, num partida em função do dorsal, que é rigorosamente controlado. Depois existe toda a logística de levar os sacos de equipamentos destes 50.000 atletas de Amsterdam para Zandam, porque a partida não é o mesmo local da chegada, e ainda o transporte de atletas em autocarros entre as duas cidades. Uma organização que não falha!!

A minha prova foi muito boa, senti-me bem logo desde a partida e fui fazendo um ritmo muito bom. E vi que o andamento estava excelente, quando passei os 13 km e estava com cerca de 59 minutos. Então mantive aquele ritmo e cheguei ao final com 1 hora 13 minutos e 0 segundos ( meu novo Record Pessoal nesta distância).
Este recorde dedico à Amélia, pela sua determinação de ultrapassar estes momentos complicados com a lesão e de não poder participar nesta prova que ela gosta tanto.

Agora vou durante a semana e no fim de semana voltar a treinar, para a Maratona de Amsterdam. 



segunda-feira, setembro 17, 2012

Treino Longo e ChiRunning - 16 setembro 2012


Ontem (16 de setembro) foi um treino longo de 40 km. Dividi o treino em duas partes, a primeira com um aquecimento de 5km, seguido de participação num workshop ChiRunning, de cerca de 5 km, tendo de seguida, continuado com o treino longo por mais 30 km. Estive a manhã toda ocupada e em movimento, com este longo treino e simultaneamente ter participado neste workshop de ChriRunning foi muito interessante. Já tinha feito várias tentativas para estar presente num workshop desta técnica de corrida, mas sempre já estavam cheios, pois existe sempre muito interesse nesta técnica fantástica de corrida. Mais abaixo explico sucintamente, o que é o ChriRunning.



Depois tinha um percurso desenhado na minha cabeça que eu iria fazer durante o treino longo, mas conforme fui correndo fui alterando-o mesmo no sentido de ser agradável e bastante mais efectivo. Então entrei por parques muito interessantes, indo depois para uma reserva natural ( onde vou participar numa corrida de 25 km em final de novembro), entre as pistas de bicicleta e num sobe e desce bem interessante, seguindo depois para o boulevard da praia de Scheveningen, passando pelo porto de pesca, entrei nas dunas ( onde costumo treinar) e fui na direção da minha casa.



Durante o percurso que fiz, a temperatura estava muito agradável para correr, e fiz uma média entre os 5;30 min/km e os 5;50 min/km, e cheguei muito bem, sem dores musculares e ainda dava até para continuar mais um pouco. Até deu para ir fazendo fotos durante o treino ! Este treino culminou numa semana em que fiz 110 km na totalidade, e que me senti muito bem, apesar do desaire da corrida no passado dia 9.



O que é o ChiRunning
:

A. ChiRunning é fazer corrida sem lesões
- Livre  de lesões de corrida através da melhoria da postura.
- Eficiente e mais fácil de correr
- Correr mais rápido por relaxamento.
- Correr uma maratona sem bastante dor e no dia seguinte simplesmente subir escadas para cima e escadas  para baixo.
ChiRunning permite isto. Com ChiRunning, os músculos das pernas sofrem muito menos pressão do que o normal, reduzindo o risco de lesões para os quadris, joelhos, canelas, panturrilhas e tendões de Aquiles.

B. ChiRunning técnica de corrida
1. Base fundamental
A postura é o primeiro pilar e mais importante de ChiRunning.
2. Inclinação
A partir dessa base fundamental aprende a deixar inclinar  o seu corpo ligeiramente para a frente.
3. Levantar os pés
Agora apenas levanta os pés.
4. A utilização dos braços
Com os braços você só pensa com o ritmo e equilíbrio. Com ChiRunning você não correr em esforço, mas relaxado “automaticamente".

Alguns vídeos Interessantes sobre o ChiRunning:

terça-feira, setembro 11, 2012

30 km de Amsterdam norte - 2012


Domingo dia 09, foi a corrida dos 30 km de Amsterdam norte. Um dia maravilhoso de sol, abriu a manhã e a previsão de temperatura alta fez-se sentir, estavam 27/28 graus!! quando foi à hora da corrida, o que para a Holanda é muito, quente e tinha muita humidade no ar.
Nunca tinha participado nesta prova, que já vai na sua 11ª edição. Participaram cerca de 1000 atletas na totalidade de provas ( 30km; 15 km; 10 km), sendo que cerca de 600 foram os que fizeram a corrida de 30km.

O local da prova, é organizada pelo clube AVAtos, na região mais a norte da cidade de Amsterdam. O local deste clube é num parque mesmo já na saída da cidade e entra-se logo nos campos verdejantes  numa área designada por Waterland ( País de Àguas). E aqui entra-se na natureza bem típica da Holanda. Imensos campos verdejantes que servem de pasto para as milhares de vacas e ovelhas, as quintas dos proprietários de gado, as aldeias que são de casas bem típicas ( Broek in Waterland, Ransdorp, Zunderdorp)  .

Bom mas a corrida, correu-me muito mal. Não vou dizer que foi só culpa da elevada temperatura, mas não fiz muito bem a gestão da mesma nos quilômetros iniciais, tendo em consideração as condições climáticas. Aos 3km passou por mim o marcador de passo (pacer) dos 5 min/km. Eu ía com cerca de 5:15 e pensei, vou com eles até uma certa altura da corrida, faço um pequeno teste e depois, deixo-os ir. Mas o ritmo estava até ao 5km por volta dos 4;45 min/km, achei um pouco exagerado, mas pensei que depois baixassem o ritmo. Não ainda foram para um ritmo de média 4;40 min/km até aos 10 km, quando já tínhamos o segundo abastecimento. Ali abordei o marcador de passo dizendo-lhe que o ritmo estava muito elevado,  e ele me respondeu que sem dúvida estava um pouco elevado, mas estava tudo bem....então disse-lhe tchau!!, e eles seguiram me parece que em ritmo ainda mais elevado. Este marcador de passo, não deve ter a consciência de ajudar os outros!


Eu lá fui seguindo, no meu ritmo baixando para cerca de 5;30 min/km, para tentar reanimar-me um pouco do desgaste destes 7 km com o marcador de passo, mas já fui tarde, pois aquele ritmo com o calor já me tinha consumido muitos líquidos e base de sustentação, para a ponta final e aos 15 km deu-me uma ligeira quebra, mas lá fui. Aos 20 km em Ransdorp a temperatura já era muito elevada, , novo abastecimento, e junto da igreja havia uma linda sombra, tomei uns 4 ou 5 copos de água, 2 ou 3 de isotônico e parei cerca de 1 ou 2 minutos. Pensei nesse momento vou terminar os próximos 10 km no que der e vier. Fui andando,  mas por volta dos 23 km não dava mais e pus-me a passo alguns metros, o que aconteceu durante os quilômetros finais, fui no “carrinho do armando, uns bocadinhos a passo e outros andando”. Foi muito complicado, chegar. Nunca me tinha acontecido algo assim, mas aconteceu agora!. Mas tenho a “satisfação” de ter visto muitos como eu, afinal não era só eu que estava naquele estado. Até qualquer tartaruga cansada passava por mim, de tão lento que eu ía. Valeu-nos muitos populares, que nos seus jardins, ligaram as mangueiras e regavam literalmente os atletas que passavam. E que sabia tão bem!!

No final, houve várias coisas que me satisfizeram, foi passar naqueles campos lindos, cheios de vacas e ovelhas e passar naquelas aldeias lindas. Mas só houve mesmo uma que que deixou com capricho, foi ter chegado à meta final abaixo das 3 horas ( pufffff) e foram 2 horas 59 minutos e 32 segundos ( Éhh Páahh). Uma corrida para esquecer, e um dia para recordar muito. Não só pelos ensinamentos que trouxe desta corrida, mas também porque fêz 31 anos (dia 9/9/1981) que cheguei na Holanda.

Agora 2 semanas de descanso de provas, e fazer treinos longos, pois a maratona de Amsterdam está aí dentro de 6 semanas. E esta hein!!?




terça-feira, setembro 04, 2012

HAARLEMERMEERRUN - 2012



Domingo dia 02 de , fui participar na ½ Maratona de Haarlemermeer. Já tinha participado nesta localidade em 2008, na prova de 10 km, e no domingo fui fazer o teste para a Maratona de Amsterdam, mas numa distância mais apropriada e numa zona com uma prova muito plana.
Fui rolando a uma velocidade muito tranquíla, até aos 8 km e depois tentei dar um ritmo mais forte à corrida  e testar como teriam sido os treinos das férias. Durante cerca de 10 km senti-me bem e o sinal apareceu aos 18 km, e escutei o que me estava a ser dito pelo organismo, e diminuí o ritmo.

Durante 1 mês não tive qualquer treino intervalado, e notou-se que a velocidade, ficou só pelos treinos longos. Mas tudo bem, o que mais importante houve desta prova foi, participar numa corrida onde deu para rolar num ritmo mais forte, preparativo para a Maratona de Amsterdam em 21 de Outubro.
Mas o prova estava muito bem organizada, o local é muito bom para uma corrida, teve a particularidade de entre os 6  e os 10 km, correr-se mesmo ao lado de uma das pistas do Aeroporto de Amsterdam, então estavam os aviões a fazerem as manobras de aterrizagem, ali mesmo a escasso metros de nós. Foi uma sensação fora do normal.

Participaram , só na ½ maratona, cerca de 350 atletas. O meu resultado de 1 hora 41 minutos e 32 segundos, foi 79º na geral e 18º no meu escalão ( Homens 45). Neste escalão, que vai até aos 55 anos!! ( a minha idade é 53 anos!!), só ficaram 2 na minha frente que eram da minha idade, todos os outros (15) eram bastante mais novos, isto dá-me um pouquinho de satisfação, porque até nem foi muito mau!!

Próximo domingo, dia 09 de setembro, 30 van Amsterdam Noord , uma prova de 30 km, num local muito bonito, entre rebanhos de ovelhas, vacas e campos verdejantes. Veja aqui o local


quinta-feira, agosto 23, 2012

Final de Férias 2012

E as férias estão passadas..!, foram 4 semanas de muitas coisas boas que aconteceram. A visita aos familiares e alguns amigos que fomos encontrando no dia a dia, foram uma delícia de "matar"as saudades próprias de cada periodo de doze meses.

Particularmente tivemos que correr, nem que fosse para manter a forma ou ir à procura dela quando ela está fraca, como é o caso da Amélia que teve parada durante 5 meses. Mas claçou os sapatos por 4 ou 5 vezes durante as 4 semanas de férias e a Fáscite Plantar aparentemente foi-se embora nas ondas do mar de Sta Cruz. Nada melhor fisiterapia do que caminhar ao longo da praia naquele areal e a àgua salgada e fria a baterem no pé. Agora é fazer uns treinos longos e buscar a tal forma que foi perdida nos últimos meses, e desgastar o kilinhos a mais que apareceram.

O Xavier fez muitos kilómetros neste periodo de férias. Está aí dentro de 8 semanas a Maratona de Amsterdão e não há que ter muito descanso. Foi o Trail Noturno de Óbidos (26 km), um treino especial na região de Runa e nas serras envolventes ( 30km), foi a subida à Serra de Sintra (10 km) e terminou com um treino longo entre Torres Vedras e Santa Cruz (25km), pelo meio houve muitos kilómetros a rolar nas dunas de Santa Cruz e no Paque da Várzea de Torres Vedras. Foi como se tivesse havido um estágio específico.

O bom de todos estes treinos foi manter contactos com os amigos das corridas, com o conhecimento pessoal dos elementos do Portugal Running, em especial conhecer a Henriqueta Solipa e o Carlos. Os outros amigos que já mencionei no artigo anterior e donde me tinha esquecido do Vitor Dias. Isto de hoje termos a internet ao alcance de um dedo, é a mesma coisa que termos à curta ditância, pessoas que partilham os nosso hábitos de vida e que são fantásticas, e se não fosse a internet era dificil de partilhar e estarem juntas.

Agora regressamos, por uma viagem de 2.200 km, mas muito satisfeitos daquilo que fizemos durante este periodo de 4 semanas. Foi muito bom e se a vida nos permitir vamos repetir estas coisas boas.....Apesar da (pseudo)crise Portugal é o país que amamos e onde temos as nossas raízes.




 
 
 
 
 
 
 

 

terça-feira, agosto 07, 2012

TNLO - 2012

Dia 04 de Agosto participei no TNLO em Óbidos, na prova de 26 km. Teve um objectivo especial esta minha participação no TNLO, em primeiro rever amigos que fizemos ao longo destes anos, atravéz do nosso blogue, mesmo que com alguns foi um encontro muito curto, e outro objectivo era de fazer um treino mais forte nesta fase na minha preparação à Maratona de Amsterdam. Encontei os amigos que já conhecia pessoalmente ( o António Almeida e a família, o Joaquim Adelino e a filha Susana, o campeão Luis Mota e a Susan) e foi com imenso prazer que conheci o Orlando Duarte e o Mário Lima. Foram maravilhosos estes encontros e deixou o desejo de os encontrar novamente, gente muito simpática.
Para mim foi a segunda vêz que participei num Trail e simultâneamente em Óbidos( 2010 e 2012).Foi uma prova muito mais dura este ano do que em 2010, onde alguns pormenores do percurso foram alterados, para melhor, e com mais emoção desportiva. Adorei a forma de como esteve a organização, para a qual dou os meus aplausos, e muito especial o conjunto de voluntários que fazem deste prova um suporte importante, para que tudo funcione a 100%. Parabéns aos organizadores e voluntários.
Gostei do percurso, da passagem nos trilhos de canaviais e pelos eucaliptais e as fazendas agrícolas. Gostei de molhar os pés com barro no riacho, gostei de escalar o rochedo, e gostei da parte complicada de subir e descer junto do castelo. Não gostei ( e aqui a culpa não é da organização) da apatia dos milhares de pessoas que estavam na rua principal de Óbidos, no percurso entre a partida simbólica e partida oficial. Este público, apanhado de surpresa, com a passagem de 600 atletas, parecia que estava a ver passar um funeral, ou um cortejo de maluquinhos do manicómio. Que povo mais deslavado desportivamente. Só para comparar, uma prova desta natureza, com passagem num local lindo como é Óbdios, se fosse na Holanda, estariam todos a aplaudir vigorosamente os atletas.
A minha prova, com o nosso sobrinho Fernando Ferro, que vive na Alemanha e pela primeira vêz participou numa prova desportiva, pois faz corrida há vários anos, mas para consumo pessoal, e nunca participa em provas, teve como base, saírmos juntos, corrermos juntos e chegarmos juntos, e tudo isso aconteceu.
O tempo que fizemos, desde a partida oficial, foi de 2 horas e 58 minutos, penso que foi muito bom, por tudo o que encontramos pelo caminho. Fiz esta prova com os meus sapatos FiveFingers e foi excelente, apesar de ter sido considerado de "ganda maluco aquele gajo com aqueles sapatos". Gostei dos comentários e da maneira brincalhona do pessoal que participa nestas provas.

Nota final : TNLO é uma prova bem organizada,e de muita categoria. A ver se volto em 2013, por minha vontade sim!.

sábado, julho 21, 2012

SAPATOS 5 DEDOS - Muito bons!

Já algum tempo vinha pesquisando, os sapatos de 5 dedos ( Five Fingers Shoes) da Vibam. Decidi-me por comprar e já fiz ontem o teste. Desde o piso de asfalto, areia rija e areia mole, trilhos de terra e com pedras, e fiquei com muito boa impressão. Só que tenho de me habituar a outra forma de correr. Mas hoje não tenho pernas duridas ou algo estranho. Sinto-me bem, e agora vou aproveitar o periodo de férias para fazer o resto do teste em Portugal.
Numa primeira sugestão a quem anda a procurar esta alternativa de sapatos de corrida, comprem porque vão-se sentir bem.






sábado, julho 14, 2012

BeachRun 2012

Em conjunto com o Campeonato da Europa de Cross Triatlon, realizou-se ontem ( 13 de junho), a prova BeachRun 2012. Com um novo percurso, mais pesado e mais bonito, cerca de 700 atletas participaram nesta corrida, de 10 e 5 km. Eu conforme tinha já planeado não participei, mas estive lá a fazer fotos aos amigos e colegas, e diverti-me bastante.

http://www.beach-challenge.nl/

Aqui as minhas imagens:


sábado, julho 07, 2012

KADELOOP - 2012

Mesmo não participando nesta agradável prova, fui até Schipluiden, fazer fotos e acompanhar os meus colegas e amigos.

Correr naquela paisagem e naquele ambiente é uma dávida da natureza. peguei na bicicleta e fui entre os campos e o canal no meio das vacas, e do cheirinho do estrume....maravilha!!

Valeu a pena esta tarde, no campo.


quarta-feira, junho 27, 2012

Amélia regressou ao treino.


Depois de 4 meses de afastamento provocado pela lesão de fasceíte plantar, ontem a Amélia voltou a treinar. Ainda falta uma sessão de terapia de Shock Wave Therapy, mas as outras 5 sessões fizeram regularizar o nervo plantar que estava afetado.

A Amélia tem feito Pilate, um desporto alternativo que vai continua a fazer , porque que é muito importante para a postura e um complemento a quem faz corrida.
Nas próximas semanas vai fazer treinos curtos, cargas muito leves, e corrida só em chão macio, como relvados e em trilhos de terra ou areia. Os treinos específicos para a recuperação são muitos importantes.

Depois do período de férias de agosto, vamos aumentar a intensidade e fazer o retorno completo às corridas. Objectivo é participar no Dam tot Dam – 16,1 km ( Amsterdam) a 23 de Setembro.

Estou feliz com o regresso da minha schat às actividades desportivas.  

segunda-feira, junho 18, 2012

Molenloop - 2012


A corrida Molenloop, que ontem (17/06/2012) teve lugar em Voorburg, foi uma corrida curta para mim. Dos 10 km de prova, só fiz cerca de 3 km. Depois de uma partida bastante boa, com um ritmo interessante ( 4:10 min/Km), por volta dos 2,5 km comecei a sentir dores abdominais e vómitos, as pernas a não responderem a nada, só tive uma solução, desistir da prova. Foi a primeira vêz nestes 6 anos que algo assim me aconteceu.

Retornei à linha de partida, caminhando e nada desilusionado, porque a nossa máquina dá-nos sinais e temos de saber escutar.

Até ao final de julho, vou só treinar e não vou participar, nas provas que eu tinha agendado. A decisão está tomada!!.



segunda-feira, junho 11, 2012

Caminhada " Vida é Esperânça"

Este fim de Semana participamos numa Caminhada com o nome "Vida é Esperânça". Com uma equipa formada pela família e amigos da Nicole, o objectivo foi de angariação de fundos para o combate ao cancro.

Esta estafeta de 24 horas, realizou-se num parque e foi uma iniciativa em que participaram várias centenas de pessoas, onde foram angariados 43 mil euros.
Durante a tarde de sábado, roda a noite, e no domingo de manhã, várias equipas fizeram manter em movimento, e a esperança de uma vida para aqules que lutam com o cancro.
Eu, a Amélia e as nossas filhas ( Natacha e Bianca) fizemos várias horas do percurso, onde à noite foi iluminado por centenas de velas, dando uma beleza edpecial ao momento.

Foi algo diferente, muito bonito e emocionante.

As corridas voltam na pròxima semana.