quarta-feira, dezembro 03, 2014

MIJENDELLOOP - 2014

Pela 4ª vez consecutiva participei na corrida Mijendelloop. É um local magnifico para fazer uma corrida, especialmente esta em que a partida é feita bem cedo às 08:00 horasda manhã(ainda é bem escurinho!), e de todo o ambiente que a envolve.

Com uma temperatura de 2 graus, algum vento,300 atletas, as inscrições são limitadas dado que o local é reserva natural, numa grande descontração participam nesta corrida, que tem um grande objetivo de angariação de fundos para um projeto de água em Tabora na Tanzânia.

Na reserva natural de Mijendel existe uma antiga quinta, onde se encontra um restaurante, e as cavalariças, que servem de apoio aos participantes, antes e no final da corrida. No final da prova o prémio é um shirt técnica e uma fatia de bolo de maçã com um café, fantástico!!

O percurso dos 25 km da prova é magnífico, entre trilhos nas dunas, estradas de terra e pistas de bicicleta. A paisagem é muito linda e existem pelo percurso os bois e cavalos selvagens, que se misturam com os esvoaçar de milhares de patos e de quando em vez os cisnes fazem o seu aparecimento, deslocando-se de lagos em lagos.

Depois de uma “semana de molho”, com problemas na região lombar, de novo!!, fazer esta aventura para mim era uma experiência de como me iria sentir. Estive para só fazer meia prova, e por volta dos 12/15 km abandonar se não me sentisse bem, mas felizmente, quando foi nesse momento, o meu andamento era excelente e não tive complicações físicas e fui seguindo sem esforçar no andamento.

Resultado final dos 25 km, foram 2:00:56, foi idêntico ao ano de 2012 e melhor que em 2013 o que me deixou muito satisfeito. Três anos depois e manter o mesmo ritmo, até que não estou mau de todo....!!


No próximo ano, decerto lá estarei na 7ª edição do mijendeloop, só falhei ainda as duas primeiras, e quero manter a coleção das shirts em que só muda o ano, a cor, e algum patrocinador. 


FOTOS DA PROVA: AQUIAQUI



terça-feira, dezembro 02, 2014

MARATONA DE AMSTERDAM - 2014

Maratona de Amsterdam, foi a minha 3a maratona de 2014. No total já corri 10 maratonas durante os últimos 4 anos, desde que passei a correr esta distância.

Depois de algumas semanas com o famigerado problema lombar, que me tem acompanhado nos últimos 2 anos, não tinha grandes objetivos pessoais. O primeiro objetivo era terminar bem a corrida, o segundo era tentar ficar dentro das 4 horas, e o terceiro objetivo, era tudo o que fosse melhor do que os dois anteriores eu ficava muito feliz.

Para esta maratona existia uma perspectiva de encontrar amigos e conhecidos que se deslocaram de Portugal, mas apesar de termos marcado o local de encontro antes da corrida, no meio da confusão que se gera em volta do estado olímpico de Amsterdam e na hora de fazer a entrega dos sacos, a organização falhou com o horário de abertura do local, não foi possível esse encontro. No entanto um ou outro amigo lá nos fomos encontrando no local de partida ou durante os primeiros km’s .

Uma manhã de uma temperatura excelente deu para não ter muitos cuidados antes da partida, no que são algumas peças de roupa extra. Foi uma corrida como fosse à temperatura de primavera.   Um ambiente fantástico, no local da partida, com cerca de 14.000 atletas dentro do estádio olímpico. Este ano aos atletas federados, foi-nos dado a “obrigatoriedade”, eu diria o prazer de participarmos em simultâneo no campeonato nacional de maratona, o que tivemos o privilégio de partir logo no grupo da frente, ali mesmo ao lado de todas as estrelas do TOP que se misturaram com os “Super Herois”, como foi definido pela organização.

A minha prova foi num ritmo muito regular, até aos 34 km : 5 km – 25:15 / 10 km – 50:22 (25:07) / 15 km – 1:16:09 (25:47) / 20 km – 1:42:35 (26:26) / ½ Maratona – 1:48:15 / 25 km – 2:08:29 ( 25:54) / 30 km – 2:35:07 (26:38) / 35 km -3:02:50 (27:43) / 40 km – 3:35:47 ( 32:57) – FINAL 42 KM – 3:51:50

Efeitos do problema lombar das últimas semanas apareceram-me as tradicionais dores nas virilhas, por volta dos 34 km’s, que me foram complicando a vida até final da prova. Sorte que uma “lebre” do nosso clube, que ia para ajudar outro colega a partir dos 30 km’s, veio-me ajudar, porque o outro colega lesionou-se e não pode continuar, e então tive durante os últimos 12 km’s uma ajuda motivante.

Com este resultado de Amsterdam, deu-me um novo impulso para novos objetivos em 2015, onde vou de novo participar na Maratona de Roterdão ( pela 5ª vêz), em 12 de abril, e também será o ano da mais apetecida maratona europeia, onde vou também participar na Maratona de Berlim a 27 de setembro.


Tudo isto só é possível com muito trabalho e dedicação da minha parte, mas uma grande paciência da Amélia, que sempre me tem apoiado e sempre está ao meu lado nestas minhas aventuras.  


quinta-feira, outubro 23, 2014

1 X 4 HaagAtletiek - 2014

A jornada nº 2 de 2014do campeonato interclubes de Haia ,corrida de 10 km, teve lugar no sábado dia 11 de outubro. Uma semana antes da minha maratona de Amsterdam, e nada melhor que fazer uma corrida de 10 km para “abanar” um pouco as pernas, depois de quase três meses de muita intensidade de treinos, e alguns problemas, que me fizeram andar 4 semanas na Quiroterapia.

Num dia cinzento e chuvoso, entre a pista de Atletismo do clube organizador e as dunas, tudo estava a indicar uma corrida dentro de um ritmo lento de maratona, mas para ver como seria a reação das últimas semanas e o ponto de partida para a maratona.
Tudo correu conforme estava planeado, a primeira volta num ritmo mais souplesse, e a segunda volta a tentativa de apanhar alguma da velocidade possível.


Saí para fazer uma média de 45 minutos e no final o resultado foram 45:10. Excelente!!

FOTOS clica aqui:


SINGELLOOP BREDA – 2014


Há 4 anos atrás tinha corrida em Breda, a prova de 10 km, este ano decidi, mesmo na última hora, que faria a ½ maratona. Foi decisão depois de ter conversado com a minha Quiropata e analisado o meu estado atual e para continuar num ritmo competitivo e não ter problemas posteriormente em Amsterdam.
A corrida de Breda ( Singelloop) tem cerca de 12.000 participantes nas várias distâncias e segundo a organização tem 80.000 pessoas  a assistir durante o percurso, e torna-se uma festa muito interessante de participar.

Faltam precisamente 2 semanas, para a Maratona de Amsterdam e nada melhor que participar numa prova desta natureza.
O percurso é composto por duas voltas, entre a parte velha da cidade e em volta dos longos e belos canais. Na passagem da primeira volta o ambiente da parte velha da cidade é eufórico, onde os milhares de pessoas do público fazem uma festa fantástica. Já horas antes se correram as outras distâncias, então depois com a ½ maratona vão ao rubro a apoiar os participantes. É magnífico !

Eu fiz uma corrida bem cautelosa, mas num ritmo muito bom, sem dores de maior e foi para mim um bom teste. Não só pelo ritmo que consegui imprimir até aos 18 km’s , como também o teste geral que eu necessitava de fazer dava-me boas indicações e correr sem dor é algo especial, que eu já não conhecia à algum tempo.

No final  1:41:24, foi um tempo que já está mais perto da realidade das minhas capacidades.



DEN HAAG – MARATHON (1/2 MARATHON) – 2014



O ano passado participei na Maratona de Haia. No entanto com o objetivo à participação na Maratona de Amsterdam , este ano fui participar na ½ maratona que se realiza em simultânea com a maratona.  É a 2ª edição, mas este ano já ultrapassou os 1200 participantes, o que é excelente.
O meu objetivo era mesmo de fazer quilómetros em ritmo competitivo para a maratona de Amsterdam e fazer um teste físico aos problemas que me tinham vindo a afectar nos últimas semanas, com o tratamento no Quiropata que me está a ajudar.

Bem cedo a partida ( 9:30h) e um percurso bem conhecido pelos “atletas da casa”. Partir do centro da cidade de Haia, seguir por alguns bairros bem conhecidos e entrar no boulevard da praia de Scheveningen, com vento forte pela frente, foi a primeira metade, onde tudo correu dentro de um bom ritmo e dentro do que eu estava a prever.
A dificuldade dos 2 km no boulevard, entre vento e areia, não foram muito bons, comecei a sentir algum esforço, mas tentei começar a não me impressionar e fazer a minha corrida, afinal o tempo não seria importante.

Já na 2ª parte da corrida as dificuldades aumentam, mas a paisagem do percurso vai ajudando e a passagem pelo parque de Clingendael, e Haagse Bos, mesmo com dificuldades nas costas e perna, tiveram da minha a resposta de uma corrida mais lenta e cuidar para não estragar o que já estava feito.


Cheguei no final com 1:48:46. Longe de um bom tempo, mas bem perto do meu ritmo para a maratona. Mesmo com algumas dificuldades físicas noto que  a recuperação do problema das costas vai no bem caminho...!!

Vredesloop - 2014



Amélia regressada de férias foi tentar fazer esta corrida de 10 km. Um dia excelente para fazer uma corrida, e muito especial se tivermos em consideração todo o contexto da mesma. A Corrida da Paz, junto do Palácio da Paz na nossa cidade de Haia, teve a sua primeira edição no ano passado, que seria uma única edição, mas o sucesso da mesma levou os organizadores a colocarem esta nova corrida no calendário desportivo da cidade de Haia.

8.000 participantes, com muitos jovens a correrem nas distâncias mais curtas, e um mar de adultos para as corridas de 5 e 10 Km. Um percurso citadino e bonito, entre os bosques circundantes do Palácio da Paz, num ambiente muito bonito, foi palco para a Amélia fazer um teste à condição física.

E foi um excelente teste, numa corrida tranquila, que correu os 10 km em  57:29.


STRANDWALLOOP – 2014


Pela segunda vez foi organizada esta corrida inserida num fim de semana cultural em Rijswijk. Desta vez foi o nosso clube o organizador e impulsionador, da corrida no sentido de no próximo ano, com uma organização com mais tempo se possa fazer uma corrida com mais participantes. Mesmo assim os quase 300 participantes foi muito bom.

Xavier ajudou no controle do percurso e Amélia participou na corrida de 7,3 km. Percurso num parque muito bonito ( Rijswijkse Bos e Te Werf), e um dia excelente para fazer uma pequena corrida.


Foi um bom treino para a Amélia com : 41:19 

segunda-feira, julho 21, 2014

BeachRun - 2014

BeachRun, é a prova apropriada para este período do ano. Na passada 6ª feira (18 julho) a Amélia foi fazer a prova de 5,5 km. Um dia de temperatura muito alta ( por volta dos 34 graus!!), mesmo que fosse no final do dia era preciso ter muita coragem, porque o percurso é muito duro.

Nesta BeachRun, não se corre só na “beach”, mas tem o percurso nas dunas com muitos trilhos de areia e muito sobe e pouco desce. A Amélia apesar do calor, resistiu bem e como tem treinado no local, sabia exatamente o que ía ter de dificuldades e de como gerir o esforço para chegar bem no último quilometro já na praia com a maré cheia.


Na prova de 5,5 km com a Amélia participaram 180 atletas, com 41 minutos e 42 segundos, foi 90ª classificada na geral, sendo a 20ª mulher entre 80. Excelente resultado..!!


StrandMarathon - 2014

Fazer uma Maratona em estafeta é sempre um desafio bastante interessante, porque é um desafio em que dependes também dos teus colegas de equipa. Por outro lado quando isto é feito num espírito de diversão e descontração, são mais uns elementos a tomar em consideração, para o bom ambiente da participação. E quando tudo isto fica aliado a um percurso a ser feito de bicicleta ( 32km), numa região muito agradável e de paisagens muito bonitas, aumenta todo o gosto de fazer uma Maratona em estafeta.

A coisa é simples, entre 4 atletas fizemos uma maratona na praia( a StrandMarathon),e  para fazermos a rendição a cada 10,5 km ( mais ou menos), temos de nos deslocar, e o melhor meio para o fazer é irmos de bicicleta  (3) enquanto  1 vai correr. Como não tínhamos bicicletas de todo o terreno, fizemos o percurso pela pista, nas dunas e apreciamos toda a zona envolvente.
Em 2013 já eu tinha feito esta prova (também estafeta) com outro colega, fizemos ½ maratona cada um, mas este ano alargamos  a ideia a outros colegas e fizemos uma equipa mais alargada, e íamos tentar obter um resultado interessante.

O percurso é quase todo na areia, e tem muitas dificuldades, especialmente se a maré estiver cheia, onde temos de correr na areia seca...ufaaa!!

Não são muitos participantes ( 30 individuais e 9 equipas) e não existe grandes exigências organizativas. A primeira parte da corrida foi muito bem lançada, em que a prestação que tínhamos delineado foi cumprida, algum tempo perdido pelo facto da maré cheia e das dificuldades para correr, depois na  2ª parte já foi com maré mais vazia e recuperou-se algum tempo da fase inicial. Eu entrei no último troço ( cerca de 11 km) e fui ultrapassando alguns dos concorrentes individuais que começam a estar em quebra, para eles era por volta dos 33/35 km, para mim era o início dos meus 11 km, e fui com um ritmo bem forte, pela “auto-estrada” de areia molhada mais muito boa para correr.




A nossa equipa foi a 3ª classificada 3:43:40, a escassos 18 segundos da 2ª classificada. No final uma bela esparguete e um excelente convívio, enquanto assistíamos às chegadas dos atletas individuais e o estafetas mais lentos. Foi maravilhoso, e para o ano vamos com 3 equipas !!

Kadeloop - 2014


A Kadeloop é sempre uma corrida muito interessante. Especialmente pelo seu percurso de 12 km, entre as quintas e campos Holandeses, e depois o retorno sempre pelo “carreiro” junto do canal.

Já há 2 anos que não participava, e este ano coloquei na agenda de provas, porque é uma prova de pequena dimensão ( cerca de 1000 concorrentes em todas as provas) e muito específica de ser corrida.

Ao contrário do que é habitual, a chuva este ano esteve presente, foi muita e forte, mas felizmente 10 minutos antes da prova, a tempestade passou, a temperatura aumentou e durante a prova a humidade vinda do chão era muito incómoda para quem corria.


Os primeiros 6km, fiz em bom ritmo, pois sabia que no “carreiro” junto da canal  as coisas eram mais complicadas e fiz a gestão do esforço. No final da corrida 52:53 é o meu novo record pessoal neste percurso.


FOTOS KADELOOP 



terça-feira, maio 27, 2014

WestlandMarathon e Royal Ten - 2014

Diz-me a Amélia que “quando pões uma coisa na cabeça, tens de concretizá-la!”. E foi o que aconteceu com a WestlandMarathon.  No ínicio deste ano, vi a informação sobre a WestlandMarathon, e fiquei por um lado muito entusiasmado, e pelo outro algo céptico porque se realizava 5 semanas após a Maratona de Roterdão. Os ingredientes eram interessantes para participar, mas fazer duas maratonas em tão pouco espaço de tempo, era coisa que eu tinha de organizar e preparar. Deixei que a minha decisão final fosse tomada após a Maratona de Roterdão, pois tudo dependia de como iria me sentir.

A WestlandMarathon ( ou seja a Maratona do Oeste) é uma das mais antigas maratonas da Holanda. Começou a ser realizada no ano de 1969 e teve a sua última edição em 1997. Esta Maratona teve ao longo de 28 edições a participação de grandes nomes do atletismo de estrada Holandês e com a participação de muitos estrangeiros depois dos anos 80. Por curiosidade aparece na classificação no ano de 1983 o atleta Português Renato Graça ( 9º classificado com 2:19:16). Este ano de 2014 foi reeditada a realização da 29ª edição, dado que a localidade de Maassluis ( localidade da partida e da chegada da WestlandMaraton) está a comemorar 400 anos da sua existência, e foi pretexto dos organizadores para relançarem esta maratona. Este interregno deve-se à proximidade de Maassluis  a Roterdão, que com a sua enorme máquina veio “matar” esta maratona popular.



A organização teve a aderência de 1040 atletas ( 390 na maratona e 650 na meia-maratona) , sem a presença de nomes sonantes do atletismo de estrada, tanto nacionais como estrangeiros. Esta foi uma edição bem popular e que gostei de participar sem aquela massa de atletas. Uma grande particularidade desta maratona é que a mesma é toda feita numa região rural, onde a deslocação de localidade em localidade é feita através de campos verdejantes, entre canais, moinhos típicos, um cheirinho de estrume de vaca , onde os patos os cisnes com os filhotes e as vacas são os teus acompanhantes e te suportam. Mas estava muito público a assistir, tanto nas localidades, ou junto das suas casas fora das dessas localidades e dava um ambiente muito bom para quem estava a participar.

Com uma temperatura amena, pelas 11:30h foi dada a partida. Eu estava entusiasmadíssimo para ver como corriam os meus primeiros 5 km, depois de duas semanas com a lesão na anca e de 3 visitas ao fisioterapeuta. Correu muito bem e fiquei com boas expectativas. Fiquei a rolar naquele ritmo e fui fazendo blocos de 5 km abaixo dos 25 minutos e passei na ½ maratona com 1:40:49. Opáhh!! Isto é muito bom, mas será que não estou entusiasmado demais ?!, perguntei eu para os meus botões. 
Deixei ir baixei ligeiramente o ritmo, fiz contas de cabeça e pensei, se eu perder 30 segundos por cada quilometro baixando o ritmo, poderei fazer 1:50:00 na próxima meia, estarei próxima das 3:30:00 no final. Até aos 28 km foi tudo dentro do que estava a programar, só que...só que...a virilha começou a ter dor...que foi aumentando gradualmente, e no contacto do pé com o chão dava uma dor muito forte. Baixei muito o ritmo, tentei recuperar a ver se ultrapassava o problema, mas a dor constante persistia. O calor começou a fazer-se sentir, muito mas mesmo muito quente para correr uma maratona, nada melhor que aproveitar tudo, água, isotônico, gel, esponjas, as sombras do percurso, tudo mesmo.  



Aos 35 km já me arrastava, e então pensei, vamos trotear e chegar à meta final, porque nada mais saboroso é terminar a prova. E lá fui a trote, todos passavam por mim, passei alguns piores do que eu, que iam a passo, paravam, descansavam, e eu a trote muito lento. 

 Ainda deu para brincar uns metros antes da meta, o speaker anunciou o meu nome, o presidente da câmara foi-me cumprimentar, a música estava bem festiva, e terminei a dançar com 3 horas 54 minutos e 55 segundos.  Entre 336 que finalizaram a maratona classifiquei-me na 167ª posição.


Uma alegria de ter terminado a minha 9ª maratona.!!! E tive muito prazer de participar nesta maratona especial “meti na cabeça, e tive que a concretizar”. No final não estava a Amélia, pois foi participar no Royal Ten 10 km, mas na cidade de Haia .

A Amélia gosta muito de fazer a prova do Royal Ten . São 10 km na cidade de Haia, e com passagem pelo lindo bosque onde está a Residência oficial do Rei da Holanda ( até ao ano passado era da mãe ). É uma prova com cerca de 3.000 atletas ( nas várias distâncias) onde a prova rainha são os 10 km. Há hora que foi dada a partida ( 14;30 h) estava muito quente e os atletas tiveram alguma complicação com a temperatura. A Amélia teve também essa complicação mas, conseguiu um resultado que é dentro do que tem vindo a fazer  58minutos e 53 segundos.




Um domingo cheio de atividade desportiva. Foi muito bom...!!

OUTRAS FOTOS DA WESTLANDMARATHON: https://picasaweb.google.com/114976007939205978216

segunda-feira, abril 21, 2014

MARATONA DE ROTERDÃO - 2014

Maratona de Roterdão pela 4a vez consecutiva, foi o meu desafio para este ínicio do ano de 2014. É caso para dizer, depois de fazer o percurso por 3 vezes, já está reconhecido e portanto há que correr e não olhar para o lado, para não perder tempo!

Mas mais uma vez, este ano o que envolveu esta Maratona é algo inexplicável. São os milhares de pessoas que assistem a esta prova ao longo do percurso, é uma organização que deu assistência a cerca de 13.000 participantes na Maratona, com cerca de 1.000 (mil) voluntários, é um ambiente arrepiante de emoção tudo o que envolve a Maratona de Roterdão.

Este ano a preparação para a minha participação na Maratona de Roterdão, tive alguma exigência pessoal e mais cuidado na mesma preparação. O objectivo principal era terminar a prova bem, se fosse dentro das 4 horas seria óptimo, se tivesse perto do meu recorde pessoal (3:44:15)seria excelente. Com estes elementos fui fazer esta minha 8ª Maratona, e senti-me muito bem nos últimos dias que antecederam a prova. Especialmente a semana antes da Maratona, foi muito cuidada, com treinos de series bem leves e com duas sessões de massagem, que deram muita descontração muscular.

Foi um dia de levantar cedinho, muito descontraído, tomar um bom pequeno almoço, sem estress e não ter nada mais em que pensar, senão ir de carro até a Roterdão, e ficamos num estacionamento bem perto do Colsingel ( local da partida), dirigir-me para as tendas gigantes montadas  de suporte aos atletas, como local de troca de roupa e onde existia um banho bem quentinho no final. No dia anterior já tínhamos ido buscar o dorsal e passado pela expo-Marathon no WTC .

Dirigi-me para a partida, com outros colegas e amigos que também foram participar na Maratona, fiquei colocado no setor E, e pensei com os meus botões, daqui a pouco vai ser complicado ultrpassar esta massa de gente, que tem no meio certamente muitos mais lentos que eu, mas enfim! A partida em Roterdão é muito bonita com o artista local LeeTowers cantando live “ You’ll Never Walk Allone”, torna-se sempre emocionante, com milhares de atletas e pessoas do público a fazerem o acompanhamento vocal e coreográfico com os braços no ar. Fantástico...!!

O que eu não tinha previsto é que eu estava exatamente na linha divisória da segunda partida. Ou seja para não fazerem uma grande aglomeração, a organização faz uma segunda partida com os atletas mais lentos, com os setores E/F/G/H..etc, o que me colocou ali mesmo na frente para a 2ª partida...maravilha. Quando foi dado o tiro de partida, eu tive na cabeça do grupo durante 3 km , com milhares de pessoas a incentivar e as avenidas completamente vazias....excelente!! Aí assim que observei o que estava a fazer, tive de colocar o travão no entusiasmo ( estava a fazer tempos de 4:10 / 4:15 min/km) e passei os 5 km com 24:32, ophàah !! estava mais que bom!!

Depois já com uma massa de atletas os outros blocos de 5 km em 5 km foram constantes, e num ritmo que eu tive “medo de mim mesmo”, pois não estava a contar manter este ritmo, e pensava que entre os 30/35 km iria “pagar” esta minha audácia de fazer uma maratona a este ritmo. Encontrei a Amélia no habitual ponto de encontro dos 28 km e disse-lhe que me estava a sentir muito bem. Cheguei aos 35 km e apesar do cansaço sentia a dar luta para os 7 km restantes e sem as habituais dores musculares nos gémeos. Então não arrisquei e mantive o mesmo ritmo, porque queria preservar a sensação de ir terminar uma Maratona na casa das 3 horas e 30 minutos. Óh que sensação maravilhosa aos 40 km, passei por centenas de atletas, que íam em dificuldades, inclusivê atletas meus conhecidos que em outras provas são bem mais rápidos do que eu. Por volta dos 41 de novo a Amélia e disse-lhe...”vai ser Record Pessoal...yesss!!”. Embalei até à meta e por “ali abaixo” foi só ultrapassar e não ser ultrapassado, nunca tive esta sensação, e no Colsingel marcou 3 horas 32 minutos e 08 segundos. Meu novo Record Pessoal da Maratona.

Depois foi dirigir-me muito lentamente até ao local de balneàrios saborear um belo banho bem quentinho ( em 2013 estava bem geladinho!), e logo de seguida festejar com a Amélia, que sempre me tem apoiado nestas grandes aventuras dos últimos anos, que nunca tinha imaginado alguma vez fazer, nem tampouco correr a este ritmo.

Agora venham de lá mais umas aventuras, e as próximas já estão programadas para 2014.

VÍDEO DA MINHA MARATONA DE ROTERDÃO 2014 







Treino 35 km - Oud-Beijerland 2014

Um treino em grupo para a Maratona é algo que faço com muito prazer. Espcialmente quando estes treinos são feitos fora dos grandes aglomerados citadinos, no meio dos campos agrícolas, com o cheirinho a estrume de vaca, é algo fantástico.

Oud-Beijerland já foi a 3ª vez que lá estive presente, com cerca de 250 outros atletas no caminho da Maratona de Roterdão. Foram 35 km com os marcadores de passo a 5:30 min/km, e fizemos 3 horas e 8 minutos, com muito prazer e de uma forma agradável.


Foi muito bom...!!

segunda-feira, março 24, 2014

1 x4 AV Sparta - 2014

Uma semana após a ½ maratona de Haia (CPC), a Amélia quis fazer um teste de como se sentia, e nda melhor do que fazer uma prova de 5km. No nosso clube AV Sparta, realizava a última prova do campeonato de Haia de estrada entre clubes, e foi uma boa oportunidade para a Amélia fazer o teste.

Um dia de sol, uma temperatura amena, fizeram-se à estrada ( no Zuiderpark) cerca de duas centenas de atletas, para as distâncias de 5km e 10km. As duas voltas ao percurso no parque, davam mais alguma coisa do que os 5 km, mas para uma prova amadora o importante era participar e sem grandes precisões nas distâncias.


Na primeira volta a Amélia foi muito bem, e o ritmo estava dentro do que é normal, não se tendo ressentido da prova da ½ maratona. Como o objetivo era não perder ritmo, manteve-se e fêz as duas voltas de forma regular e terminou com 28 minutos e nove segundos. Entre 12 mulheres que participaram nesta distância a 

Amélia foi 2ª classificada, sendo que a 1ª classificada era da categoria de 45 anos. Foi uma excelente participação.

quinta-feira, março 13, 2014

CityPierCity - 2014



Estavamos no ínicio de 2012 e a Amélia ficou lesionada com o problema de Fasceíte Plantar, foi uma grande desilusão que tivemos pois seria a sua 3ª ½ maratona. Depois veio o longo período de recuperação e no final de 2012, quando tudo se encaminhava para a preparação para a ½ maratona, novamente no outro pé a lesão da fasceíte plantar.  A Amélia tampouco conseguiu recuperar para participar na ½ maratona de 2013. Infelizmente o ano de 2013 foi atribulado no início com a lesão, mas tudo se veio a recompor e no final de 2013, a Amélia começou a fazer treinos longos no sentido de finalmente participar em 09 de março de 2014 na sua 3ª ½ maratona. Foram longas semanas de preparação mais intensa, mas que tudo estava a correr dentro do que se pode considerar normal. Só que o ritmo competitivo notou-se a sua falta, mas traçamos como objetivo principal, participar na CPC e termina-la, o tempo a percorrer a ½ maratona era o menos importante, mas a ideia estava em ficar por volta das 2 horas e 5 minutos; 2 horas e 10 minutos. Com a promessa de  eu acompanhar a Amélia durante todo o percurso, fomos à luta!

Um dia de sol radiante, uma temperatura com cheiro a verão, milhares de pessoas na rua para assistirem à corrida, deu um dia de festivo à cidade de Haia com 40.000 participantes a CORRER!! ( correram mesmo!!) esta tradicional corrida do CPC na sua 40ª Edição.  Eu fui bem cedo para o local onde tudo acontece para esta corrida, ou seja, o Malieveld, é onde se fazem as partidas as chegadas das várias corridas e funciona todo o secretariado, e ainda existe um conjunto de apoios a toda a organização do evento.


A causa de eu chegar mais cedo, é que tinha um grupo de 11 atletas, que eu treino há cerca de 1 ano, e iriam participar na corrida dos 10k e para a maioria deles era a 1ª vez que participaram numa corrida a sério. São pessoas que nunca tinham corrido, e começaram comigo num projecto nacional de corrida de estrada ( Start to Run). Então ajudei-os a entrarem nesta corrida e a participação deles  foi meritória com resultados muito bons, para quem estava em casa sem praticar desporto.  
Até que chegou a hora (14;30h) da nossa corrida da ½ maratona. A festa era fantástica e partimos com o objetivo de termos muita calma, para  não sermos surpreendidos no início da corrida, onde existe muita aglomeração de atletas. Levei o meu Camelbag, para os últimos quilómetros, pois existe abastecimento até aos 15 km mas depois a Amélia sente sempre muita difuculade se não tiver líquidos. Uma estratégia que combinamos para evitarmos o congestionamento nos abastecimentos, era que eu acelerava e a Amélia corria por fora enquanto eu pegava àgua e depois lhe fornecia, ou seja eu seria o “aguadeiro”.


Até ao 5ºkm  rodamos a cerca de 5:55 min/km, foi quando se começou a sentir a temperatura mais quente.  Refrescamos, com vários copos de água, e seguimos o mesmo passo até ao 10º km e tudo estava ligeiramente abaixo dos 6:00 min/km. Então vem a parte mais complicada, com algumas ligeiras subidas, até ao 16º quilômetro e a Amélia dá-me sinal de abrandamento. Tudo bem estamos dentro de um bom passo e há que fazer aquilo que o organismo manda!

Vem depois a parte mais complicada, os 18º e 19º km, e as dificuldades “com o homem do martelo” aumentam, aí o ritmo vai para cima dos 6:00 min/km e o reservatório do camelbag é utilizado muitas vezes, até que olho para a Amélia e venho que vem em esforço, ela dá-me o braço depois da passagem dos 20 km...e falta mesmo pouco. Vamos festejar porque a meta final é já ali.
Milhares de pessoas aglomeram-se na recta final, muita música, o “speker” anima a festa, amigos incentivam-nos e finalizamos com 2:09:10.

 E estava concluída a 3ª ½ maratona da Amélia e a minha 21ª. Foi uma felicidade, depois de dois anos de muitas lesões, finalmente fazer e participar nesta que é a melhor ½ maratona da Holanda. Para a Amélia foi importante ter terminado esta corrida, assim ganhou mais confiânca desportiva, depois de dois anos de confusões com as lesões desagradáveis. Estamos muito felizes.!!!





segunda-feira, março 10, 2014

20 van Alphen - 2014

Pela primeira vez participei na famosa corrida, dos 20 km de Alphen. Esta corrida não tinha em anos anteriores tido a minha participação, porque está no calendário sempre muito cerca da ½ maratona de Haia, o que não é muito aconselhável fazer duas provas do mesmo calibre com pouca pausa entre elas.

Alphen aan de Rijn, é uma localidade aqui cerca de Haia, está geograficamente colocada no chamado “coração verde” da Holanda, onde predominam os verdes campos, com muitos moinhos , tendo sido construído um túnel, de 7 km, e 15 metros de diâmetro,  para a passagem do TGV entre Paris e Amsterdam. Onde o comboio passa a uma velocidade de 300km/h e demora somente 1 minuto e ½ para fazer este percurso.

Mas a corrida dos 20km de Alphen, foi programa dentro do meu calendário, no percurso de treinos e provas que estou a fazer para a maratona de Roterdão ( dia 13 de abril), e como vou acompanhar a Amélia na próxima ½ martona de Haia, daqui a uma semana, queria fazer estes 20 km, a um ritmo mais competitivo.
Um dia de sol radiante, muita gente a participar, alguns milhares porque havia também provas de crianças, 5k e 10k, um ambiente perfeito. Como tenha licença desportiva de competição, colocado no grupo de atletas de competição, e no meio das “feras” , que nos dá alguma satisfação, ver de perto os atletas top Holandeses e não só. Tem algumas desvantagens, e paga-se uma preço algo excessivo, porque sem darmos por isso, entramos no mesmo ritmo deles, e somos sugados no primeiro kilómetro a velocidade muito forte. Eu fiz o 1º kilómetro abaixo dos 4 minutos..huii!!!

Só o vento é que complicava as coisas em algumas artérias do percurso. Notava-se algum vento forte, especialmente entre os 7 e 10 km, depois entre os 13 e 15 km foi mesmo de frente, e houve que trabalhar com outros adversários e nos entre ajudamos para cortar o vento, e depois por volta dos 16 e 18 km. Tive sempre um ritmo de corrida que gostei, não forcei muito, mas o vento deu para fazer algum desgaste. Depois por volta dos 17 km aconteceu algo que não gostei nada da organização, é que a corrida dos 20 km, junta-se com os concorrentes da prova de 10 km, e são esses milhares de participantes, mais lentos que tentamos ultrapassar e nos colocam muitos problemas, especialmente, no último km, onde tentas acelerar um pouco e não dá, por aí as artérias são estreitas para tanta gente a participar. Foi pena, porque acho que faria um tempo bem abaixo da 1:30 h!!

Mas o resultado final foi 1:30:11, sendo o meu record pessoal nesta distância, que já tinha percorrido em 2009 na cidade Paris (1:39:00).


Próximo domingo ( dia 09 de março) CityPierCity ou seja a ½ maratona de Haia. Vamos estar os dois a fazer esta linda prova.



terça-feira, fevereiro 11, 2014

Groet Uit Schoorl - 2014

Num domingo, muito cinzento, com vento, poderia ser mais propício a ficar a manhã a dormir na cama, mas corredor que se preze, não olha a qual o estado do tempo e mete a cara e vai em frente! Fui o que fiz ontem ( dia 09 de fevereiro), fui até Schoorl fazer a prova de 30 km. Uma zona fantástica da natureza, para fazer uma corrida entre bosques e dunas. Quando chegámos na região de Schoorl começou a chover e muito. Controlamos a aplicação do Iphone , com o radar da chuva a dar-nos a indicação que o vento iria aumentar de força, e a chuva iria ficar por várias horas. Os ingredientes estavam lançados e o desafio pessoal também.  

Os 30 km deGroet Uit Schoorl, foram corridos por mim pela 3a vêz, mas nunca tinha apanhado condições tão adversas. Apesar do ano passado termos apanhado um percurso com muita neve, e temperaturas negativas, este ano tivemos algo muito horroroso. A chuva caiu durante toda a corrida, vento forte (80-90 km/h) que apesar de em alguns pedaços ter sido favorável, em muitos foi de frente ou lateral. Existem relatos de atletas onde tiveram grandes dificuldades, com momentos em que queriam correr e ficavam completamente parados, e também aconteceu comigo, depois dos 15 km, durante 1 km. Ufaa!!

Mas a história da minha corrida, começa com a ida para a linha de partida, onde chovia, e chovia, sem parar, o corpo frio, bem gelado, e os primeiros 2 km foi de tentar aquecer os músculos, a um ritmo baixo. Depois entre os 5 e os 8 km um pouco mais abrigado, mas com uma longa subida deu para manter um ritmo já bem interessante. Com uma descida favorável, tentei recuperar os quilômetros iniciais mais lentos. Entre um gel e uma bebida estávamos no km 11. A chuva e o vento sentiam-se bem, e fomos durante 3 km num espaço aberto sem qualquer abrigo com vento lateral muito forte, já estávamos junto do mar do norte e soprava muito forte. 

Veio então o abastecimento do km 15 onde o vento nos empurrava no género 1 passo em frente e recuávamos 3. Foi necessário despender muito esforço e tentar abrigar-me atrás dos Holandeses altos, mas eles não corriam muito forte, e tive de tomar a iniciativa algumas vezes. Desde o km 16 até ao 18 houve algum vento favorável, e deu para recuperar um pouco. Aos 21,1 km estava com 1:38:00, o que me pôs a fazer contas para os 9 km seguintes, mesmo com a 2ª passagem pela subida complicada. Depois da subida senti-me forte e deu para aumentar o ritmo, ultrapassar muitos que íam na frente, mas que vi sentirem dificuldades. O mal dos outros é a nossa sorte quando nos sentimos bem, então estes serviram de lebre para mim, passava de um para o outro a ultrapassar e a ver na frente outros que me entusiasmavam para dar um pouco mais de ritmo. Mas o desgraçado vento lateral, não me deixava tranquilo e de vêz em quando uma rajada forte, me mandava para a berma. Aos 28 km, ainda tive folgo para aumentar o ritmo, ou pelo menos não quebrei até à meta final. 

2 horas, 19 minutos e 11 segundos é o meu novo Recorde Pessoal aos 30 km. Ou seja são cerca de 4 minutos mais rápido do que em 2012 no percurso plano de Brille ( 2:23:07 ).

Se ( vêm sempre um se e um mas!!) não fosse o vento e um percurso mais plano, tenho a sensação que havia um PB com mais distância do anterior. Mas sinto-me feliz, pelos resultados, mesmo 2 anos mais velho e ainda vou melhorando os meus tempos.

Na minha categoria Homens até 54 anos participaram 113 e fui 16º . No total da classificação geral entre 1100 atletas dos 30 km, fui o 146º .

Agora seguem-se 3 semanas, só a fazer treinos longos, no caminho para a Maratona deRoterdão. A próxima prova será dia 2 de Março, em Alphen aan den Rijn ( 20 km).

Uitslag Groet Uit Schoorl Run 2014
Startnummer9648
NaamJosé Xavier
WoonplaatsSparta
25 km1:55:59
Netto tijd2:19:11
Bruto tijd2:20:16
Snelheid12,933 km/uur
Afstand30 kilometer
Plaats16e van categorie M50



terça-feira, fevereiro 04, 2014

MidwinterMarathon - 2014

MidwinterMarathon em Apeldoorn tornou-se para nós desde 2011, uma prova que é presença habitual. A cidade de Apeldoorn com os seus castelos reais, é de uma beleza fantástica.  O ambiente onde é feita a corrida, com a participação de milhares de pessoas ( 12.500) nas várias distancias, a paisagem que envolve o percurso são elementos importantes, para sair de casa viajar 130 km ( no total 260km) para fazer uma corrida.

Com um dia de boa temperatura (estavam 8˚ C ) e o sol queria espreitar, sem vento, dava uma boa indicação para uma boa corrida. Nos últimos dois anos tínhamos feito a corrida com temperaturas negativas, e agora estava uma maravilha.

Nós participamos em duas provas diferentes, Amélia no 18,5 km e Xavier nos 27,5 km. Percursos já por nós conhecidos, com uma parte inicial de 4 km citadinos, mas depois os bosques, o Parque Natural de Weluwe , são muito bonitos para corridas desta natureza. Depois a volta à cidade, por uma estrada provincial, com uns 2 km na cidade.

A Amélia já há algum tempo que não participava em corridas, mas queria fazer um teste com a preparação à participação na ½ Maratona de Haia. Sentiu-se mal por volta dos 10 km, e fez o que deve ser feito, baixou o ritmo e deixou-se rolar até à meta final. Ainda existem 4 semanas para colocar mais alguns quilômetros e ganhar algum ritmo competitivo. No final fez 1 hora e 58 minutos e 37 segundos.  São mais 6 minutos do que em 2012, mas nestes dois anos as lesões foram bem profundas e agora lentamente há que recuperar.

O Xavier, com a preparação para a Maratona de Roterdão, participou na prova de 27,5 km, e dei-me muito bem. Saí com o “marcador/pacer” das 2;10, e fomos fazendo o nosso percurso dentro do esquema. Entre os 15 e 20 km senti que estávamos a ter um ligeiro ganho ao esquema, e ele me confirmou que estávamos com cerca de 1 minuto mais rápidos ( dava por volta das 2:09h).  Por volta dos 24 km senti-me bem e tentei a “minha sorte”. Ou seja tentei ganhar mais algum tempo ao meu recorde pessoal ( 2:11:25), do que só as 2:09h. E fiz uma prova de ultrapassar muitos participantes, que estavam em quebra, e fui indo de um a outro, e não mais vi os meus colegas de corrida. Só senti uma ligeira quebra a uns 300 metros da meta, mas ela estava ali mesmo. No final estava com o meu novo Recorde Pessoal , 2 horas 07 minutos e 17 segundos. Ou sejam foram 4 minutos e 8 segundos que roubei ao meu tempo anterior.


Domingo dia 9 de fevereiro , 30 km em Groet uit Schoorl



                             Vídeo Xavier                          Vídeo Amélia


IMAGENS DA PROVA : ( ao 1:06  e 1:08 lá vem o Xavier...)



sexta-feira, janeiro 31, 2014

PuinDuinRun - 2014


PuinruinRun, ou seja a corrida dos “Alpes de Haia”, é uma corrida que está crescer com muito entusiasmo e cada ano se torna mais popular. Os 500 lugares deste ano foram rapidamente preenchidos. A organização está cada vez mais afinada e já tem outros meios de suporte na partida e chegada dos atletas. Há anos atrás a partida era feita com um apito, e as 2 centenas de participantes de então escutavam e partiam, hoje já existe também equipamento de som, controle feito por chip, pórtico de chegada. Que se mantenha por aqui é suficiente.

A prova, mesmo com a dificuldade de ter 320 degraus por cada volta, está a ser procurada mesmo por pessoas que usam os ginásios desportivos, para fazem uma atividade extra de quando em vez. Como existe a possibilidade de fazer 1 volta (3,2km); 2 voltas (6,4km) ou 3 voltas (9,6 km), então cada um escolhe a “dose” que lhe ficar mais propícia.
Entre carreiros, estradas de areia, e muitas escadas é uma alegria ver tanta gente, que se diverte num domingo de manhã, que este ano teve uma temperatura excelente ( 4 graus) para fazer esta corrida. O ano passado tivemos neve até aos joelhos, upss!!

Participei na corrida longa ( 9,6 km) com cerca de 1000 degraus para fazer, e tive um excelente treino, num passo bem acomodado, sem fazer grande esforço, subindo os degraus sempre em bom ritmo, e não entrando em excessos de esforço que poderiam ser prejudiciais. No final foram 53 minutos e 57 segundos, que fiz, e uma manhã muito agradável.
O prémio de presença , que é sempre original nesta corrida, foi desta vez uma garrafa de cerveja, com um rotulo de um caricaturista famoso da cidade de Haia.

Valeu a pena mais esta corrida do PuinDuinRun......!!

Próximo fim de semana  (02/02/2014), vamos a Apeldoorn para a Amélia fazer 18,5 km na Holland Techniek e Xavier 27,5 km Helicon Asselrond .



Puinduinrun Race report 2014 from Frank Hamelink on Vimeo.

segunda-feira, janeiro 13, 2014

EGMOND ½ MARATONA - 2014

Óh que maravilha voltar a Egmond aan Zee, para fazer uma prova de ½ maratona!!!


Esta este ano particularmente tinha um gosto especial, por vários ingredientes. Foi a minha 20ª ½ maratona, e estava a ser aguardado um elemento extra este ano, com o nível da maré alta, quando fizéssemos o percurso de 7 km na praia.

Um dia de sol, com frio ( 6 graus), mas muito bom para fazer esta prova de 25.000 participantes. É a mais difícil ½ maratona na Holanda, dado que são 7 km na praia, 3 km de trilhos nas dunas, 6 km de pistas de bicicletas, e 5 km são dentro da localidade.


Depois dos 3km iniciais entra-se na praia, e é arrepiante os milhares de pessoas que aplaudem os atletas. Ao longo de muitos metros iniciais estão aglomeradas muitas pessoas, depois durante a praia existem sempre pessoas, e no final para sair da praia, ainda arrepia mais. É um incentivo que não tenho palavras para descrever. São os chocalhos, são as palmas, chamam pelo nome dos atletas impressos , utilizam outros instrumentos para fazer incentivos, etc, etc....é uma festa autêntica.


Este ano a praia estava mais curta e a maré cheia, fazia com que o piso fosse de areia mais solta, e de vez em quando uma onda ou outra, entrava pelo coluna de atletas, fazendo o zig-zag ser repentino para não haver pés molhados. Eu tive solte não levei com nenhuma. Mas verifiquei a dificuldade acrescida que tive quando corri na areia mais solta. Depois nas dunas, com os trilhos de terra, foi começar a ultrapassar muitos e de vês em quando lá ia também sendo ultrapassado.

Foi um dia magnífico, com os colegas do AV Sparta, bom um ambiente fantástico, com uma bela corrida. 
Melhor não poderia ser esta minha 20ª ½ maratona. No final 1hora ; 41 minutos e 23 segundos. Entre 195 atletas do meu escalão, fiquei na 81ª, nada mau!!! 


Uitslag 42e PWN Egmond Halve Marathon 2014
Startnummer
1238
Naam
José Xavier
Woonplaats
Sparta
10,5 km
51:15
15 km
1:12:05
Netto tijd
1:41:23
Bruto tijd
1:42:34
Snelheid
12,486 km/uur
Afstand
Halve marathon wedstrijd
Plaats
81e M50