segunda-feira, novembro 28, 2011

Mijendelloop 2011

Sábado dia 26 de Novembro, participei numa corrida maravilhosa a Mijendelloop. Esta foi a 3a edição de uma prova realizada, numa reserva natural, onde estão armazenadas as àguas que alimentam a cidade de Haia. É uma àrea, onde predominam os bosques, os pequenos lagos, as dunas, a fauna, os cavalos selvagens e os bisontes selvagens. É Magnifico o ambiente!
A organização da prova , limitou a 300 o número de participantes, o que é natural pelo tipo de prova, no entanto só a fizeram 200 e poucos atletas, esta prova de 25 km.

Eram 8 horas da manhã ( bem cedo hein!), ainda era escuro foi dado o toque de partida, e lá fomos pelas pistas de bicicletas, até por volta dos 6 km. Depois entramos no carrocel de um sobe e desce constante nas dunas, entre carreiros de terra batida e ensaibrados, e a natureza começa a tomar conta de nós. O sol começou a nascer e os patos e os gansos fazem voos, na busca de outros lagos, dando um toque especial a uma corrida, bem na natureza e onde encontramos os ponys selvagens ( raça fjorden), nesta altura estávamos no Ganzenhoek ( canto dos gansos).
Continuamos e por volta dos 8 km entramos numa zona de pinhal, muito bonita, onde me fez lembrar os pinhais portugueses, nessa altura a música no meu Ipod, também era portuguesa, e então não poderia ter sido melhor.

Retomámos os carreiros de sobe e desce, ao lado da pista de bicicleta, e aos 10 km tenho precisamente 50 minutos de corrida, e considerei um bom ritmo, pois ainda faltavam 15 km. Mais 2 ou 3 km mais há frente estaria por lá a Amélia, para captar umas fotografias, no meio daquele ambiente mágnifico, e passamos na àrea onde costumam estar os bisontes, mas….talvêz ainda estivessem a dormir e nem vieram apoiar a prova.
E lá estava a Amélia, que era dos poucos assistentes a esta madrugadora prova, fez-me umas fotos e eu lá segui no meu ritmo até aos 15 km, com o tempo de 1 hora e 16 minutos, porque aquele pedaço de percruso tinha feito alguma moça, em relação ao ritmo inicial. Aí fui ultrapassado por 6 ou 7 atletas, que vinham à varios kilómetros atraz de mim.
Até por volta dos 20 km o percurso foi mais plano e mais junto da cidade, mas depois retomamos de seguida a entrada na reserve natural e a beleza voltou e passámos junto do monumento à 2a Guerra Mundial (Waalsdorpervlakte), local onde foram fuzilados cerca de 250 Holandeses, pelos ocupantes Alemães.
Depois desse local tive novamente uma ligeira quebra de ritmo, na pista de bicicleta, tinha mais subidas que descedidas ( é isso mesmo!!) e fui ultrpassado por mais 4 ou 5 atletas. Recompus-me, já faltava muito pouco e retomei o meu ritmo normal. A algumas centenas de metros da meta lá estava de novo a Amélia a capatr mais umas fotos, para recorder-mos esta corrida mágnífica.

No final, fui 56º com o tempo de 2horas 7 minutos e 14 segundos, num ritmo de 11,79 km/h e 5 minutos e 5 segundos por kilómetro. Terminaram a prova 178 atletas.

O objectivo desta corrida, foi a angariação de fundos para um projecto de àgua no Malawi. O prémio de terminar a prova, foi uma shirt functional, e um agradável convívio com um cafézinho acompanhado de uma fatia de tarte de maçã, com chantily……Estava uma delícia!!!

Depois no domingo dia 27, foi dia de eu ajudar o meu clube na organização do Corta Mato de Duinreel. É bom nós sabermos tudo o que está por dentro destas organizações, pois da-mos valor a tudo o que está ligado ao atletismo, e aos voluntários que organizam estas coisas maravilhosas. Então foi um fim de semana ligado a várias coisas desportivas, como atleta e como voluntário.
Voltarei brevemente a a judar !






2 comentários:

Carlos Alexandre disse...

Parabéns

luis mota disse...

Olá Xavier e Amélia!
Deve ser uma prova bem bonita corrida nessa reserva natural.
Aqui por Portugal estão a aumentar as corridas “fora do alcatrão” e os atletas têm aderido bem, pois são muito bem tratados onde vão. Estão de parabéns todos os organizadores de corridas de montanha em Portugal!
Recebam um grande abraço de Portugal.
Luís mota