segunda-feira, janeiro 10, 2011

1/2 Maratona de Egmond - 2011

Os meus colegas comentavam sempre a corrida de Egmond aan Zee, e sempre fiquei curioso de como seria esta prova. Então lá fomos domingo dia 09 janeiro, levantar cedinho( para um domingo 7 horas da manhã!!) apanhar o comboio, e uma viagem de 1hora e 45 minutos. Ao chegarmos ao destino havia autocarros ( daqueles de turismo) que transportavam as pessoas, desde os estacionamentos espcíficos, ou das estações de caminho de ferro, logo aí ví que esta organização era diferente. A organização fecha o acesso á localidade e fora, nas outras localidades ( Zaandam e Heiloo) é que existem os parques de estacionamento e o custo de 5 euros ida e volta, torna-se barato, pois o estacionamento é gratuíto e ao deslocamo-nos de uma forma confortável no transporte o preço é insignificante.

Cheguei bem cedo ao Pavilhão desportivo, que estava preparado para os atletas se equiparem, e logo vi os locais que envolviam esse pavilhão com grandes tendas de apoio, assim como os lugares para deixar-mos « as bagagens », em função da letra do local de partida. Para a primeira impressão tudo excelente !

Pelas 11 :30 ( ou seja uma hora antes) dirigimo-nos para o local de partida, no Boulevard de Egmond aan Zee( que dista cerca de 1 km do pavilhão). A Amélia munida da máquina fotográfica, e encontramos a Ana Pescadinha que também participou. O marido Edgar está doente enão pode participar. Estava um frio, muito vento gélido e cortante , mas um dia de sol mágnifico e apetecível a fazer uma prova. Ficamos logo congelados, e eu pensava correr só com uma blusa interior térmica e a minha do clube, mas logo tive de adaptar o esquema, ficando também com o blusão que iria fazer o aquecimento. O Mar do Norte não é para brincadeiras !!

O sinal de partida é dado, e ainda congelado, lá foram dados os primeiros metros, na tentativa de descongelar as articulações, e lentamente ( como um motor a gasóleo) lá fui aquecendo. A volta na vila dura cerca de 4 km, e depois entramos na praia. Um pouquinho antes lá estava a Amélia de máquina fotográfica na mão a tentar catar-me no meio de todos aqueles atletas. Logo de seguida na entrada da praia e já no areal uma moldura humana espetacular incentivava os atletas. Eu ali tive uma primeira impressão, do importante que é aquele calor humano. Perguntei para assim, o que faz mover estes milhares de pessoas, que num dia de tanto frio, para virem aplaudir os atletas ? Nesse local, tive a primeira impressão, de estar num local, que eu conhecia da ver na tv em alguma prova desportiva.

Os primeiros 4km fiz em média baixa de 4 :55 min/km, depois já em pleno areal ( até aos 10 km), com o vento de frente, a média aumentou para 5 :25 min/km, para sair do areal e subir ás dunas foi o momento de média mais alta, 5 :50 min/km ufaaa !!, foi bem pesado.

Mas ao longo do areal, continuavam centenas e centenas de pessoas a incentivar os atletas, e no momento de sáida do areal, a moldura humana, aumentou fazendo um corredor para os atletas, e tive de novo a mesma imagem de alguma prova desportiva, da tv, mas qual seria ?!

O espetáculo desportivo continua durante a subida, e no cimo da duna, foi o momento de despir o casaco, enrrolar o mesmo á cintura, porque aí nesse local era mais abrigado e não se sentia tanto vento. Era uma fila de atletas linda de ver, era o arco-irris de cores no meio de uma paisagem mágnífica, o piso aí era de terra batida e um sobe e desce infernal. Senti-me melhor nessa altura e uns kilómetros mais à frente ( por volta dos 14 km) o piso era de empedrado e de algum asfato, muito bom de correr, e nessa altura senti-me com forças para começar a ter um ritmo mais elevado, e fui passando alguns colegas, que me tinham passado no areal, e lá fui andando, tendo passado aos 15 km com 1 hora e 15 minutos, fiz umas contas rápidas, onde poderia dar um bom tempo e abaixo das minhas primeiras previsões.

Entre um bosque e as dunas, a paisagem é muito bonita, aproveito esses momentos, com o meu Ipod, com música de Santamaria, U2, Madonna, bons ritmos para correr e relaxar e aproveitar o que me é envolvente. Pontualmente existiam centenas de pessoas que formavam grupos, cantavam, tocavam chocalhos, e de tudo se serviam para incentivar os atletas. O meu ritmo foi aumentando, e passei a correr por volta dos 4 :30 min/km, e sempre iá era com atenção no meu ritmo cardíaco, de não exceder o meu máximo, afim de terminar bem, e isso era importante para mim, no meu esquema de treino que estou a fazer para Rotterdam.

Já de retorno a Egmond aan Zee, aumenta de novo o cordão humano, vejo a placa dos 19 km e uma subida, bem complicada, e o cordão humano fêz-me então lembrar a tal prova desportiva na tv, no tour de França, nas montalhas do Apes D’uez, onde o público afunila a passagem dos corredores, e essa era a imagem que eu vi naquele momento. Fantástico e lindo de ver, o importante que é o público participar nesteas actividades desportivas.

Já dentro de Egmond aan Zee, foi gerir o rimo que vinha fazendo, e encontro de novo a Amélia de máquina fotográfica na mão a tentar registar uma foto deste dia mágnifíco. Estava com a minha irmã a Dulce, que tinha participado na ¼ de maratona, e esteve bem !

Na meta cheguei bem, com o tempo de 1 :45 ;38 . Considero excelente, com todos estes elementos que encontrei pelo percurso, fiz só mais cerca de 5 minutos do que os meus últimos tempos ( 1 :39 / 1 :40).

Na minha categoria, Atletas de Competição participaram 1484 atletas e classifiquei-me em 831. Entre 195 atletas da minha Categoria de Idade ( Homens 50 anos) fui 111°, a uma média de 11,894 km/h. Só por curiosidade, participaram nesta prova 12.500 atletas, entre Ateltas de Competição ; Business Run e Atletas Recreativos.

Depois foi o regresso, o pavilhão desportivo estava cheio de atletas a trocarem os equipamentos e a fazerem o balanço pessoal e o convívio final habitual. Foi hora de apanhar o autocarro de volta, até à estção de caminho de ferro, e tudo se processou de forma normal, apesar de uns 10 minutos de espera a constante passagem de autocarros deu um bom fluxo na saída de Egmond aan Zee.

Balanço final deste dia em Egmond aan Zee: Para o ano volto lá de certeza ! Adorei fazer esta prova ! De curiosidade, agora vi in loco aquilo que os meus colegas falavam da prova em todos os aspectos. A Amélia ficou com vontade de para o ano fazer a prova mais pequena de 10,5 km ( aquela que eles designam de ¼ Maratona), apesar da areia, que ela não gosta de arriscar, esta é bem rija e não afunda os pés. Com já falei da organização, foram fantásticos em todos os aspectos.

E esta minha proeza quero dedicar à Amélia, pela forma de ter tanta paciência de me esperar no frio gélido, e de ter-me de « aturar » nas próximas 13 semanas, as mais duras de preparação à minha participação na Maratona de Roterdão.

Fotos do meu colega Paul Nijman, que está lesionado, mas fez umas excelentes fotos, nas dunas e na areia :

NESTE LINK Egmond aan Zee - 2011

Nossas fotos :


4 comentários:

Carlos Lopes disse...

Os meus parabens por esta prova.. magnifico texto.. um abraço

Filipe Fidalgo disse...

Olá, Xavier.
Espectacular Prova. o teu relato deixa-nos com vontade de para o ano estar a teu lado para esta magnifica prova. Quem sabe???

Um grande Abraço e boa preparação para a Maratona.
Filipe Fidalgo

Vitor Veloso disse...

Olá Xavier,
Boa prestação, esta prova deve ser daquelas que fica na memoria por muito tempo.
Boa reportagem fotográfica, os meus parabéns.
Abraço e bjs a Amélia
Vitor

Henriqueta Solipa disse...

Excelente...
Parabéns!

Pela descrição deve ter sido uma prova fabulosa. Os meus desejos de óptimos treinos para a maratona...

Tudo vai correr bem :-)
Beijinhos aos dois, atleta e fotógrafa...